Banner 1

 

O Novo Cangaço entrou em confronto com a Polícia Rodoviária Federal e o Batalhão de Operações Especiais (BOPE) na madrugada do domingo, 31, no município de Varginha, em Minas Gerais.

As primeiras informações são de que foram dois confrontos. No primeiro, 18 homens do Novo Cangaço morreram. Num segundo confronto, numa chácara, outros sete não resistiram.

Com os suspeitos (tem suspeitos baleados), os policiais apreenderam um grande arsenal de armas e explosivos. Entre as armas, havia uma metralhadora de guerra (.50) capaz de derrubar aviões.

As informações estão sendo apuradas e divulgadas pela capitã PM Layla Brunnela, de MG. Ela já adiantou um vídeo com as primeiras informações e ainda neste domingo, vai atualiza-las.

Num primeiro momento, a capitão Layla Brunnela pode acrescentar que a polícia chegou aos assaltantes através da união das forças de inteligências da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal de MG.

Graças ao trabalho integrado de inteligência, os policiais do Bope e da PRF não se feriram.  Eles continuam em diligência procurando outros membros do bando, assim como para identificar os suspeitos abatidos.

A notícia ainda circula pelos principais jornais do País. A Polícia estima que esta foi a maior baixa no esquema criminoso chamado Novo Cangaço, que assusta principalmente o centro do País.

Em entrevista exclusiva ao repórter Renato Rios Neto, da rádio Itatiaia, o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais, Rogério Greco, considerou a operação "perfeito, sensacional".

"É um trabalho que já vem sendo feito há muito tempo, falando principalmente da inteligência. Me parece que já era uma operação da inteligência da Ficco (Força Integrada de Combate ao Crime Organizado de Minas Gerais) e que resultou nessa ação muito bem-sucedida através do Bope e da PRF. Da nossa parte aqui, nós só temos que parabenizar nossas forças policiais por um trabalho perfeito, sensacional. Fazer o que eles (policiais) fazem é para poucos, mostra que as forças de segurança aqui reduziram consideravelmente as ações do novo cangaço. Esse tipo de organização criminosa já percebeu que Minas não é um bom lugar para esse tipo de crime", disse.

O Novo Cangaço

A expressão Novo Cangaço fui cunhada há cerca de duas décadas, atribuídas a quadrilhas violentas de assaltos a bancos, que chegam as cidades, as sitiam, atormenta os moradores com tiros, rende os policiais, explodem os cofres das agências bancárias e fogem soltando grampos nas estradas. Há casos, quando os bandidos percebem que haverá confronto, eles usam reféns como escudo. Este tipo de crime, que também acontece nos estados do Nordeste, incluindo no Rio Grande do Norte, ficou mais frequente na região Norte e Centro Oeste do País. A operação deste domingo, é uma reação do Estado a este tipo de crime.


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem