Banner 1

 


O último balanço divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), com dados do sistema RN Mais Vacina, portal que acompanha em tempo real a vacinação contra a Covid-19 em todo o território potiguar, apontou que o Rio Grande do Norte contava com 205.039 pessoas que excederam o prazo para receber a segunda dose.

De acordo com a pasta estadual, estão nessa situação pessoas que só tomaram a primeira dose e não completaram o esquema vacinal dentro do prazo estabelecido para cada imunizante. O órgão de saúde estadual reforça que é importante sempre destacar que a vacina é a forma mais eficaz de combate à pandemia.

A coordenadora de Vigilância em Saúde da Sesap, Kelly Lima, alerta essas pessoas que ainda não compareceram a uma sala de vacinação que o faça para garantir o esquema vacinal e tomar a segunda dose do imunizante.

"É importante ressaltar que além da dose de reforço, as pessoas que não procuraram as unidades básicas de saúde para completar o esquema vacinal com a segunda dose, precisam garantir a imunização, procurando o mais rápido possível o posto mais próximo de sua casa. Só assim vamos conseguir avançar ainda mais na imunização da população do Rio Grande do Norte", informou.

Ontem (22), o Rio Grande do Norte contava com 2.485.217 pessoas parcialmente vacinadas, com a primeira dose, o que representava 78% da população acima dos 12 anos e 1.693.812 pessoas totalmente vacinadas, 53% desse grupo. Até aquele momento haviam sido aplicadas 4.281.296 doses dos imunizantes contra a Covid-19.

DISTRIBUIÇÃO

A Secretaria Estadual de Saúde também informou que recebeu no início da tarde desta sexta-feira mais de 155 mil doses do imunizante da Pfizer. Ao todo, são 156.780 unidades para dar sequência à campanha de vacinação contra o novo coronavírus no estado.

A Sesap explicou que o quantitativo será distribuído na manhã deste sábado, 23, para todos os municípios. Segundo o órgão, os lotes garantem a segunda dose e também a dose de reforço dos idosos, pessoas imunossuprimidas e trabalhadores da saúde, além da continuidade da vacinação das crianças e adolescentes entre 12 e 17 anos.

Edinaldo Moreno/Repórter do Jornal De Fato



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem