Banner 1

 


O relator da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado, Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou que pedirá “com certeza” o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no relatório final do colegiado.

“Não vamos falar grosso na investigação e miar no relatório”, disse o senador a jornalistas nesta 3ª feira (5.out.2021), quando chegava para o depoimento do sócio da VTCLog Raimundo Nonato Brasil.

Segundo Renan, o relatório pedirá o indiciamento de Bolsonaro, ministros e outros integrantes do governo federal por crimes comuns, crimes de responsabilidade, crimes contra a vida e crimes contra a humanidade. “Estamos avaliando, com relação a indígenas, a tipificação do genocídio”, acrescentou.

CERIMÔNIA

A cúpula da CPI vem afirmando que a atual semana será a última com depoimentos de testemunhas e investigados. Já na sessão desta 3ª, o relator da comissão anunciou que terá uma versão pronta do relatório em 15 de outubro e, a partir desse dia, receberá sugestões de outros integrantes do colegiado para avaliar possíveis complementos ao documento.

Antes da leitura, prevista para 19 de outubro, a cúpula da CPI disse que fará uma cerimônia de encerramento com alguns familiares de vítimas da covid-19. A votação do relatório pelo plenário da comissão deve ocorrer em 20 de outubro.

Além disso, o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), afirmou que o colegiado fará também um memorial em homenagem às vítimas do novo coronavírus no Brasil.

“É para ficar na história do Senado federal. Não para nós, que somos membros, dizermos que somos melhores que ninguém. Mas para que, futuramente, espero que não aconteça, mas, se acontecer, uma nova pandemia seja gerenciada de forma diferente que foi gerenciada desta vez”, disse Aziz.

Poder 360



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem