Banner 1

 

O presidente nacional do Partido Social Democrático (PSD), Gilberto Kassab, anunciou a candidatura de Rodrigo Pacheco, atual presidente do Senado, à presidência da República em 2022. A declaração foi dada em um evento ao lado do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, no sábado (23). Segundo Kassab, Pacheco só não será cotado, “se não quiser”. 

No evento, o presidente nacional considerou honroso ter a filiação de um chefe do governo no partido. “Teremos a filiação de um chefe de governo, do presidente do Congresso Nacional. Mais do que isso, teremos a filiação de um ser humano generoso, qualificado e preparado”, disse Kassab. 

Em discurso, Pacheco criticou as movimentações do governo federal para furar o teto de gastos para abarcar o Auxílio Brasil, benefício que deverá substituir o Bolsa Família em 2022.

“Através de Bolsa Família ou qualquer nome que queira dar, nós precisamos mais do que nunca garantir às pessoas carentes um programa sustentável, que tenha um valor responsável”, disse. 

O senador também argumentou que o país deve ser conduzido por boas práticas de respeito às diferenças e abandonar os viés de radicalização e extremismo. 

Filiação

A cerimônia de filiação está marcada para o dia 27 de outubro, na próxima quarta-feira, em Brasília.

Rodrigo Pacheco oficializou a migração para a sigla na última sexta-feira (22), quando anunciou sua saída do partido Democratas. Nas redes sociais, Pacheco escreveu que a decisão responde a um convite do presidente da sigla, Gilberto Kassab, que desde o início do ano tem defendido o nome de Pacheco para disputar a presidência.

“Comunico que nesta data tomei a decisão de me filiar ao PSD, a convite de seu presidente, Gilberto Kassab. Agradeço aos filiados, colegas e amigos do Democratas de Minas Gerais e de todo o país o período de convivência partidária saudável e respeitosa. Meus agradecimentos especiais ao presidente ACM Neto pela atenção a mim sempre dispensada e manifesto meus votos de sucesso ao recém-criado União Brasil, na pessoa de seu presidente, deputado Luciano Bivar”, registrou Rodrigo Pacheco no Twitter.

No DEM, um dos integrantes da fusão que gerou o novo partido União Brasil, o senador já era estudado como possível candidato, ao lado do ex-ministro da Saúde Mandetta e Ronaldo Caiado, governador do Goiás. 

O evento realizado neste sábado no Rio de Janeiro é uma convenção regional do diretório estadual do PSD e reúne diversos políticos e militantes aliados ao partido.

Congresso em Foco


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem