Banner 1

 

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), anunciou que o governo vai reajustar os salários de mais de 35 mil servidores no primeiro quadrimestre de 2022.

"Iniciaremos a recomposição de algumas carreiras, corrigindo distorções salariais de mais de uma década, sobretudo aqueles cujos vencimentos são os mais defasados no estado", afirmou nas redes sociais.

"A nossa equipe econômica chegou a um percentual de recomposição salarial de 15% e essa medida beneficiará mais de 35 mil servidores e servidoras, ativos e inativos", acrescentou.

O anúncio, no entanto, não detalhou as categorias que serão contempladas pela medida.

Até setembro, o estado tinha 52.746 servidores ativos, 44.610 inativos e quase 12 mil pensionistas, segundo o caderno de gestão de pessoas da Secretaria Estadual de Administração. Somente em setembro, a folha salarial do estado foi de R$ 580,5 milhões.

As maiores folhas são as da Secretaria de Educação (R$ 82 milhões) e da Secretaria Saúde (R$ 64,1 milhões), seguidas pela Polícia Militar (R$ 49,5 milhões) e pela Polícia Civil (R$ 16,8 milhões). Se as polícias fossem unificadas, a folha da Segurança Pública seria maior que a da Saúde.

Qualquer reajuste salarial só pode ser feito a partir de 2022, porque a lei de socorro aos estados em razão da pandemia da Covid-19 (Lei complementar 173/2020) proibiu aumento de salários em todas as esferas do poder público até o final de 2021.

Reunião com grevistas

O anúncio da governadora foi feito no mesmo dia em que o governadora se reuniu com representantes do Sindicato da Saúde, para tratar sobre a pauta da greve iniciada na última quarta-feira (28). Entre os pontos, os servidores pedem recomposição salarial com a inflação dos últimos 12 anos.

Segundo o sindicato, a governadora abriu a discussão sobre o plano de cargos, carreiras e salários apresentando uma proposta de reposição de 15% em cima do orçamento da folha da saúde para 2022, que atualmente gira em torno de cem milhões de reais.

"No entanto, não apresentou os impactos dentro das tabelas salariais dos servidores, propondo que se comece a construir isso com o sindicato", disse o sindicato.

Na proposta que o sindicato defende elaborada pelo Dieese e encaminhada para o governo ainda em maio, o pedido de reajuste é de 40% para os servidores da saúde como reposição das perdas inflacionárias.

"Ficou encaminhado uma reunião para essa sexta-feira, entre o Sindsaúde/RN e a Sesap para discutir como será realizada a distribuição dos 15% dentro das tabelas do plano de cargos", disse o sindicato.

Além das negociações com o sindicato da saúde, o governo encaminhou em outubro, à Assembleia Legislativa, um projeto de lei que cria o plano de cargos, carreiras e salários dos servidores do Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do RN (Idiarn).



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem