Banner 1

 


A CNN Brasil anunciou, na noite de sexta-feira, 24, a rescisão do contrato com o jornalista Alexandre Garcia. No comunicado oficial, a emissora atribui a demissão às reiteradas defesas do "tratamento precoce" contra a Covid-19 com uso de medicamentos sem eficácia comprovada.

“A CNN Brasil comunica que rescindiu o contrato com o jornalista Alexandre Garcia nesta sexta-feira (24). A decisão foi tomada após o comentarista reiterar a defesa do tratamento precoce contra a Covid-19 com o uso de medicamentos sem eficácia comprovada”, informa o material, que continuou: “a CNN Brasil reforça seu compromisso com os fatos e a pluralidade de opiniões, pilares da democracia e do bom jornalismo”.

Comentarista do ‘Liberdade de Opinião’, Garcia foi desmentido durante o programa ao vivo, na manhã de hoje. Na ocasião, as denúncias contra a operadora de saúde Prevent Sênior eram debatidas quando ele reforçou que “os tais remédios sem eficácia comprovada salvaram milhares de vidas”.

Desmentido

Ao final da participação do analista político de 80 anos, e que por décadas permaneceu como contratado da Rede Globo de Televisão, apresentadora Elisa Veeck desmentiu a fala e destacou que o posicionamento de Alexandre Garcia não reflete o da emissora.

“E mais um acréscimo aqui neste fim do quadro de hoje, a CNN ressalta que não existe um tratamento precoce comprovado cientificamente para prevenir a covid-19. O que a ciência mostra é que a prevenção, com o uso de máscaras e a vacinação”, disse, durante a apresentação do ‘Novo Dia’.

A situação recente não foi a primeira em que o jornalista foi desmentido pela emissora durante o programa. No dia 19 de agosto, ele afirmou ao vivo, durante o mesmo programa, que não haveria necessidade de adolescentes se vacinarem contra a Covid-19.

Portal Comunique-se



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem