Banner 1

O Governo do Rio Grande do Norte assinou nesta terça-feira (21) protocolo de intenções com a empresa Neoenergia S/A que visa à execução de projeto piloto para produção de hidrogênio verde. O protocolo define providências e medidas de cooperação. Por parte da empresa está a responsabilidade pela prospecção de demanda, captação de parceiros tecnológicos, definição de estrutura para financiamento do projeto. Já ao Estado caberá promover incentivos fiscais, regulatórios, fundiários e de licenciamento para o desenvolvimento da cadeia de produção de hidrogênio verde. 

"O RN se projeta cada vez mais na área das energias renováveis, já somos maior produtor do país em eólica on shore (em terra). E caminhamos para ser o primeiro Estado a produzir offshore.  Este acordo que estamos firmando com a Neoenergia entra neste contexto e amplia para a produção de hidrogênio verde. Digo da satisfação de firmar este protocolo que é ação concreta e compromisso com o desenvolvimento sustentável", afirmou a governadora professora Fátima Bezerra.

Ela citou o difícil momento que o Brasil passa diante da crise hídrica e energética. "O RN já dá imensa contribuição ao setor energético do país e poderá ampliar", declarou, acrescentando que o RN tem um governo que dialoga e propõe ambiente favorável aos investimentos. "Temos equipe com perfil técnico e preparada em suas respectivas áreas. Associamos o conhecimento técnico à sensibilidade social e política. A Sedec é hoje uma secretaria conhecida, acessível, um espaço de diálogo com todos os segmentos das atividades econômicas. O Governo é parceiro da iniciativa privada e aberto às boas parcerias com transparência e responsabilidade", afirmou. 

Titular da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico (Sedec), Jaime Calado reforçou que "o Governo do RN sabe de suas responsabilidades. Temos os melhores ventos do mundo, a Neoenergia é pioneira na geração de energia eólica on shore em nosso Estado e pode ser off shore. Convidamos o grupo, discutimos as possibilidades, e hoje estamos aqui para firmar este protocolo que já é de um projeto piloto. Por isso, considero um dia marcante, um fato histórico para um setor que só faz crescer, gera 60 mil empregos e tem aqui as maiores empresas do setor no mundo. Queremos que o RN seja cada vez mais um polo produtor de energias renováveis e armazenagem de hidrogênio verde". O coordenador de desenvolvimento energético da Sedec, Hugo Fonseca, explicou que o hidrogênio verde é visto hoje no mundo todo como viabilidade de energia limpa. "Investir neste setor e em novas tecnologias é entregar um legado de sustentabilidade às novas gerações".

O presidente da Federação das Indústrias, Amaro Sales Amaro, elogiou a iniciativa do Governo do Estado e disse que a Fiern se soma a este esforço e quer dar sua colaboração. “O grupo Neoenergia já é parceiro nosso e, tenho certeza, vai continuar contribuindo muito para o desenvolvimento do Rio Grande do Norte”, destacou.

Para João Hélio, diretor técnico do Sebrae: "enquanto instituição acreditamos muito no desenvolvimento energético. Há pouco tempo tínhamos seis, agora são mais de 100 empresas atuando nesta área. Que o hidrogênio verde venha com muita força e seja protagonista. Aqui o Estado e empresas apostam em novo caminho e o Sebrae está à disposição.”

Marcio Caires, presidente da Cosern - empresa do grupo Neonergia - disse que "esta é mais uma parceria com o Governo do Estado. Agora, chegou a hora do hidrogênio verde. Junto com o Estado e outros parceiros estamos confiantes no sucesso desta nova iniciativa."

O grupo Neoenergia também foi representado pelo superintendente de operações, David Benavent, diretor de Relações Institucionais e Governamentais, João Paulo Neves Batista Rodrigues, diretor de negócios liberalizados Hugo Nunes, gerente de exploração Hélio Reinaldo, gerente da Termope, Tatsumi Igarashi. 

O secretário de Estado da Infraestrutura, Gustavo Coelho, o presidente da Fundação de Pesquisa do RN (Fapern), Gilton Sampaio, o secretário adjunto da Sedec, Sílvio Torquato, a assessora de governança corporativa da Potigás, Samanda Alves, acompanharam a governadora no ato de assinatura. Também participaram o diretor técnico do Sebrae, João Hélio, representantes da UFRN e do IFRN e do Instituto Senai de Inovação. O deputado estadual Francisco do PT representou a Assembleia Legislativa.

Hidrogênio Verde

O hidrogênio verde se tornou prioridade na estratégia de energia e climática de diversos países. Isso acontece porque é alternativa para setores de difícil abatimento de emissões de carbono, possibilitando o armazenamento e fornecimento aos setores da indústria e transporte. A aceleração do desenvolvimento do mercado de hidrogênio trará mais oportunidades de negócios nas áreas de petróleo e gás, eólica e solar, biocombustíveis, nuclear, vez que existem várias tecnologias e insumos para a produção de hidrogênio.

O Rio Grande do Norte tem as melhores condições ambientais para a geração de energia eólica offshore. Hoje, tem quatro projetos em processo de licenciamento que podem incluir a produção de hidrogênio verde - energia mais barata, renovável e de grande disponibilidade de geração, ampliando a viabilidade dos empreendimentos.

Neoenergia

Controlada pelo grupo espanhol Iberdrola, a Neonergia atua a mais de 20 anos no Brasil. As atividades começaram em 1997, com investimentos em distribuição de energia elétrica na Bahia e no Rio Grande do Norte. Hoje, a empresa é um dos maiores atores do setor de energia do Brasil, com atuação integrada e diversificada. Possui ativos de distribuição, geração, transmissão e comercialização de energia em 18 Estados e no Distrito Federal. No Rio Grande do Norte, desde 1997, o Grupo Neonergia administra a Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern). O grupo também possui em operação no Estado parque eólico localizado no município de Rio do Fogo, com 62 aerogeradores e capacidade instalada de 49,3 MW.


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem