Banner 1

 


Com o boom dos pagamentos online, os golpes estão cada vez mais frequentes e diversos, mas é o falso pagamento que lidera e domina a lista de fraudes digitais —corresponde a 42% dos casos, segundo pesquisa que analisou cerca de 20 milhões de contas abertas em plataformas. Na sequência, estão a falsa venda (25%) e o roubo de dados (23%).

No golpe mais utilizado no país, o fraudador elabora um falso comprovante de depósito, com os dados da vítima, e envia por email ou WhatsApp para finalizar uma transação de venda de um produto.

O vendedor acredita que o valor já foi depositado e entrega o produto. Quando percebe o golpe, o golpista já sumiu do mapa: ele já está com o produto em mãos e deixa de responder as mensagens.

O estudo, feito pela OLX, plataforma de compra e venda online, em parceria com a AllowMe, empresa de proteção de identidades digitais, coletou dados de janeiro a junho de 2021. Segundo o levantamento, esse golpe gerou um prejuízo estimado de certa de R$ 6 milhões apenas no 1º semestre deste ano.

O crime costuma acontecer com mais frequência na venda de eletrônicos, que representam 78% dos casos. Celulares aparecem em primeiro lugar (47%), em seguida, videogames (19%) e computadores (13%).

Perfil do fraudador

Os golpistas são extremamente organizados e não atuam sozinhos. Na verdade, eles participam de associações criminosas, que se organizam em rede, para criar contas falsas a partir de dados de pessoas de verdade.

Os fraudadores buscam atrair o maior número de vítimas por meio de anúncios, muitas vezes com abordagens realistas.

Há uma ideia de que as atividades cibernéticas criminosas estão associadas à deep web —parte da internet que não é indexada pelos mecanismos de busca como o Google, por exemplo— com navegador Tor, recurso utilizado nessa parte da web. Contudo, a pesquisa mostra que esse argumento não é tão assertivo assim: a cada 10 mil contas falsas criadas, apenas uma é feita a partir do Tor (0,01%) e 14 utilizam caixas de e-mail temporárias (0,14%).

Por outro lado, a relação de emails válidos, que vazaram recentemente, é muito superior. Se considerarmos uma amostra de mais de 10 mil contas falsas, 173 foram abertas fazendo uso de emails comprometidos.

Outro mito é em relação ao horário. Três em cada quatro atividades criminosas ocorrem entre meio-dia e meia-noite. A madrugada, período do dia que muitas pessoas acreditam que os golpes costumam acontecer, corresponde a somente 18%.

UOL


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem