Banner 1

 

O índice Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) teve uma redução em Mossoró. O levantamento realizado em Mossoró entre os dias 1º e 8 deste mês apontou risco médio de infestação do mosquito Aedes aegypti, com um índice de 3,6%. O anterior realizado no mês de abril apontou um nível de 4,1% no nível de infestação. O mosquito é responsável pela transmissão da dengue, chikungunya e zika.

Apesar do índice geral ter apontado uma redução, LIRAa revelou que o bairro com maior infestação do mosquito transmissor das doenças é o Dom Jaime Câmara com uma infestação de 11,6%; em 2º vem o bairro Boa vista com 9,9%; em 3º Aeroporto com 7,6%; em 4º Alto da Bela Vista com 6,3 e em 5º Alagado. Nesses pontos há infestação do mosquito transmissor das doenças.

Segundo o diretor do CCZ, Sandro Elias de Medeiros, além do trabalho de controle feito pelas equipes de endemias a colaboração da população é muito importante para evitar que o mosquito se reproduza. Sandro alerta para o não acúmulo de lixo, lavar sempre os reservatórios de água, manter as caixas d’água sempre bem tampadas.

O trabalho dos agentes de endemias, com as restrições devido a pandemia da covid-19, se restringe a visitação na área externa do imóvel, orientação e aplicação de larvicida. Sandro adiantou ainda que atualmente o larvicida utilizado será substituído por outro com maior eficácia. “Precisamos da colaboração da população no sentido de evitar o cúmulo de lixo e conservar os reservatórios de água limpos e fechados”, completou.



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem