Banner 1

 


A Polícia Federal prendeu, na sexta-feira (3), o blogueiro Wellington Macedo,  que atua na organização dos atos de 7 de setembro em favor do presidente Jair Bolsonaro. Ele teve sua prisão autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

O pedido foi feito pela subprocuradora-geral Lindôra Araújo, que integra o núcleo mais próximo do procurador-geral, Augusto Aras, e participa das investigações sobre os atos antidemocráticos de 7 de setembro. Wellington Macedo promove conteúdo favorável ao presidente Jair Bolsonaro nas redes. Nos últimos dias, no seu Twitter, ele disse que está sendo perseguido por Alexandre de Moraes por "fazer jornalismo".

Em uma de suas publicações, Macedo disse que a possibilidade de invasão do Supremo Tribunal Federal é de 80%. "São centenas de ônibus. Quando falamos que o povo tá indo para Brasília para retomar o poder, é a retomada do poder, já que o presidente da República já não tem mais poder”, afirmou.

O blogueiro afirmou que a população “está disposta” a invadir o STF e o Congresso até que os ministros Moraes e Luis Roberto Barroso sofram impeachment. No Instagram, Macedo diz que é "fundador da Marcha da Família Cristã pela Liberdade".

A prisão, ocorrida quatro dias antes dos atos, irritou a base bolsonarista nas redes sociais. A deputada Carla Zambelli (PSL-SP) disse que a prisão do influenciador por Moraes significa o "fim dos tempos". "Suas atitudes ecoarão na história e até parte da esquerda já enxerga a verdade", disse a parlamentar.

Congresso em Foco


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem