Banner 1

 

Alberan de Freitas Epifânio aparece em vídeo espancando o quilombola Luciano Simplício

Um homem teve os pés e as mãos amarrados e foi agredido com chutes na cidade de Portalegre, interior do Rio Grande do Norte, no último sábado (11). As cenas foram registradas pela população.

De acordo com a Polícia Civil, o caso foi registrado na Delegacia de Pau dos Ferros, antes do vídeo com as agressões ser divulgado.

O acusado das agressões é o do comerciante, Proprietário do Mercadinho Eduarda,  Alberan de Freitas Epifânio, que é apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

"Não estou arrependido, não. Eu faço isso, fiz e faço quantas vezes for preciso", disse o comerciante em áudio.  

“O relato que chegou à delegacia é que uma pessoa embriagada teria jogado pedras em um comércio. O dono do estabelecimento teria chegado ao local, visto os danos causados ao seu comércio e teria prendido o causador do dano até a chegada da polícia. A situação foi levada para a Delegacia de Plantão e o caso foi registrado. Mas, no dia de hoje (segunda-feira, 13), surgiram novas informações, inclusive o vídeo que mostra uma possível tortura”, disse o delegado de Portalegre, Cristiano Gouveia da Costa.

O vídeo mostra o quilombola em situação de rua, Luciano Simplício, no chão, com as mãos e os pés amarrados, chorando, enquanto Alberan segura a corda. Em determinado momento o homem que segura a corda dá um chute nas costas do rapaz amarrado.

“Sem ter ouvido ninguém, só pelo vídeo, a gente já vê um crime de tortura porque o homem está preso, amarrado, e é agredido de forma covarde”, disse o delegado.

Ele explicou que o caso será investigado. “Vamos apurar para que cada um responda dentro da lei pelos seus atos”, explicou.

Com informações do G1 e Congresso em Foco




Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem