Banner 1

 

A exigência de se assistir a uma propaganda de 30 segundos do governo federal para ter acesso a internet em escolas públicas do Nordeste do país causou revolta nas redes sociais. Parlamentares da oposição criticaram a obrigatoriedade e acusaram o Executivo de uso eleitoral do projeto Conecta Brasil.

O caso foi denunciado por reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, publicada na segunda-feira (27/9) 

Moradores de Santa Filomena, no interior do Piauí, contaram ao jornal O Estado de S. Paulo que antes de ter o acesso à internet liberado, alunos e professores precisam assistir uma propaganda promovendo o governo Bolsonaro. E é preciso reassistir ao vídeo todas as vezes que eles quiserem se conectar.

O vídeo é uma exigência feita pelo Wi-Fi Brasil, projeto do Conecta Brasil, uma iniciativa do Ministério das Comunicação para promover inclusão digital. O projeto custou R$ 2,7 bilhões aos cofres públicos, e cerca de 90% do investimento foi direcionado a municípios das regiões Norte e Nordeste. Na propaganda obrigatória que os usuários precisam assistir, medidas governamentais como o 13º salário do Bolsa Família e a instalação de sinal de internet em escolas são exibidos. 

Em nota, o Ministério das Comunicações afirma que a medida é legítima e é garantida pela Constituição. "O serviço é mais um dos canais de comunicação institucional do governo federal com o cidadão, sendo um importante instrumento de divulgação das políticas públicas de governo e de informações de utilidade pública, sem fins de qualquer natureza que não seja informar a população, conforme assegura a Constituição".

Correio Braziliense


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem