Banner 1

 

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) trabalha em um levantamento de quantas doses de Pfizer há no estoque do Rio Grande do Norte - tanto na Unicat, quanto nas regionais de saúde - para adiantar a segunda dose do imunizante.

O objetivo é antecipar o prazo da segunda dose para 21 dias após a aplicação da primeira.

A decisão foi tomada após o Instituto de Medicina Tropical (IMT) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) confirmar dois casos da variante delta do coronavírus em Natal.

"Com a chegada dessa nova variante a gente começa a se preocupar porque já temos observado problemas em outros estados do país. Estudos apontam que, para a delta, a Pfizer tem uma proteção menor apenas com uma dose aplicada", disse a coordenadora de vigilância em saúde da Sesap, Kelly Lima.

Ela explicou que, a partir do levantamento de quantas doses há em estoque, será observado quantas pessoas já completaram 21 dias da aplicação da primeira dose do imunizante "garantindo que elas possam ter antecipação da segunda dose".

Com a antecipação do calendário, a vacinação de adolescentes entre 12 e 17 anos, prevista para ser iniciada em setembro, pode ser adiada.

"O entendimento é que vamos utilizar essas doses para garantir a antecipação da D2 e não iniciarmos agora a vacinação das crianças e adolescentes. Claro que continuaremos em tratativas com o Ministério da Saúde na perspectiva de que eles consigam enviar doses de forma antecipada para o estado, garantindo a proteção dos potiguares", conta.

De acordo com Kelly, apenas os imunizados com a Pfizer devem ter alteração no calendário vacinal. "Vacinas como CoronaVac e a de Oxford devem permanecer com o intervalo de cada imunizante".

G1/RN


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem