Banner 1

 


O mercado aumentou a estimativa da Selic, a taxa básica de juros, de 7,25% para 7,5%. É o 2º aumento consecutivo da projeção, depois que o Copom (Comitê de Política Monetária) elevou a taxa básica de juros de 4,25% para 5,25% ao ano no início de agosto.

As estimativas foram publicadas nesta 2ª feira (16.ago.2021) pelo BC (Banco Central). O Boletim Focus é divulgado semanalmente com as perspectivas dos operadores do mercado em relação aos principais indicadores da economia.

Na última reunião, o Compom afirmou que tornou-se apropriado elevar os juros de forma tempestiva para um patamar “consistente com política monetária contracionista”. E reunião do comitê, marcada para os dias 21 e 22 de setembro, devem trazer nova alta, de 1 ponto percentual.

A alta da Selic é um dos mecanismos do BC para controlar a alta da inflação. A meta do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) é de 3,75% neste ano, com o mesmo intervalo de tolerância, de 1,5 ponto percentual, para mais e para menos (de 2,25% para 5,25%).

O Boletim Focus indica que o percentual ficará acima do teto da meta. A estimativa atualizada é de 7,05%, antes era de 6,88%. Essa é 19ª alta consecutiva da projeção do IPCA.

Ao mesmo tempo, os analistas diminuíram a estimativa de crescimento da economia. O PIB, antes estimado em 5,30% foi para 5,28% em 2021. Para o ano que vem também teve queda na projeção: de 2,05 para 2,04%.

A cotação do dólar, segundo os operadores, deve terminar o ano em R$5,10, mesma estimativa da semana passada. Para 2022, a previsão também se manteve em R$ 5,20.



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem