Banner 1

 


Os dados sobre arboviroses registrados em Mossoró no acumulado do período que vai de janeiro até julho deste ano em Mossoró, mostram que os mossoroenses não podem abandonar os cuidados preventivos.  

Segundo os casos que constam no Sistema Nacional de Notificações (SINAM), os casos confirmados de Dengue no município nos primeiros 7 meses deste ano somam 134 de um montante de 687 casos notificados. Do total com confirmações, 3 casos eram de Dengue com sinais de alarme e 1 era de Dengue grave.

Os casos confirmados de Febre Chikungunya totalizam 57, dentro de um total de 287 casos notificados. Já quanto a Zika, os casos notificados de janeiro a julho somam 32, com 8 casos confirmados.

Em relação ao ano passado, há uma queda nos casos positivos de Dengue, Chikungunya e Zika de 87, 97 e 95%, respectivamente. Leva-se em consideração o periodo de janeiro a julho.

Para o diretor geral do Centro de Zoonoses de Mossoró, Sandro Elias, o trabalho de combate ao mosquito Aedes Aegypti precisa contar com a participação ativa da população. "Os mossoroense podem e devem ajudar os nossos agentes no combate e controle das arboviroses. É possível fazer isso evitando locais com água parada, caixa d'água descoberta. Não é porque os casos vão diminuindo de um ano para o outro que podemos relaxar com a prevenção", disse.

"As nossas equipes permanecem em campo percorrendo as casas para orientar a população e combater o Aedes Aegypti. A pandemia nos obrigou a adotar medidas de biosegurança durante essas incursões pelos bairros. O trabalho não pode parar", explica João Paulo,  diretor administrativo do Centro de Zoonoses.

2020

No ano passado, no mesmo período os casos notificados de Dengue somaram 2.458, destes, foram confirmados 1.064 casos da doença. Os casos de Chikungunya chegaram a 1.951 confirmações entre 3.294 casos notificados.

Os casos de Zica em 2020 de janeiro a julho totalizaram 173 confimados. 


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem