Banner 1


Do Blog do Barreto

Por meio de uma nota enviada ao Blog do Barreto a Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA) confirmou que um de seus terrenos está sendo usado para guardar tratores e equipamentos enviados pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

Desde maio circulam nas redes sociais imagens dos equipamentos. O Blog do Barreto na época tentou confirmar a veracidade das imagens, mas a UFERSA não se pronunciou.

Somente no final da noite de ontem, por meio de uma nota, a instituição confirmou que os tratores e equipamentos que estão chegando (sim, de maio para cá outros vieram, inclusive na semana passada) são da Codevasf.

“Neste sentido, alguns tratores e outros veículos que estão sendo fotografados e divulgados chegando na área desta Instituição não pertencem à UFERSA, mas sim fazem parte do Contrato de Cessão de Uso Não Onerosa de parte do terreno da UFERSA, celebrado entre a CODEVASF (Empresa Pública Federal) e a UFERSA (Autarquia Federal), não havendo qualquer tipo de ilegalidade no ato firmado. A UFERSA apenas cedeu parte de seu terreno, de forma temporária, para guarda de veículos de uma Empresa Pública Federal, sendo o ato jurídico autorizado pela Procuradoria Federal”, diz a nota.

A nota ainda explica que os equipamentos serão encaminhados para municípios do Rio Grande do Norte.

A  Lei nº 14.053, de 08 de setembro de 2020 autorizou a Codevasf a atuar nos 167 municípios do Rio Grande do Norte permitindo  envio de recurso da companhia pública para o Estado.

Rogério Marinho é alvo de denúncias uso eleitoreiro e compra de apoio político para Bolsonaro com recursos da Codesvasf.

Desde maio o ministro do desenvolvimento regional Rogério Marinho vem sendo alvo de denúncias de uso eleitoreiro e compra de apoio político através do envio de recursos da Codevasf.

O escândalo ficou conhecido como “Orçamento Paralelo” ou “Tratoraço”.

Segundo levantamento do jornal O Estado de S. Paulo, Marinho teria usado a empresa estatal para liberar “emendas paralelas” que totalizariam R$ 3 milhões em troca de apoio político de deputados e senadores para Bolsonaro.

O parlamentar teria também buscado se fortalecer para seu projeto político no Rio Grande do Norte onde sonha ser eleito senador em 2022.

Os parlamentares solicitaram através de ofícios o envio de equipamentos agrícolas para as bases políticas.


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem