Banner 1


Dados divulgados na quinta-feira (15), pelo Fórum Nacional de Segurança Pública, apontam que o estado do Rio Grande do Norte registrou uma alta de 13,1% no número de mortes violentas intencionais (homicídios) entre 2019 e 2020. O levantamento faz parte da nova edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, com dados coletados em 27 estados e no Distrito Federal.

O levantamento aponta também que o Rio Grande do Norte tem duas cidades que ficaram entre as 15 mais violentas do país: São Gonçalo do Amarante na região Metropolitana, em 9º lugar, e Mossoró na região Oeste, em 14º lugar. O Fórum faz o levantamento considerando a soma de homicídios dolosos (quando há intenção de matar), latrocínios (roubo seguido de morte), lesões corporais seguidas de morte e mortes decorrentes de intervenção policial.

O Fórum aponta que o Rio Grande do Norte registrou 1.344 Mortes violentas intencionais em 2020, contra as 1.264 ocorridas em 2019. O aumento analisado quebra a sequência de redução de mortes violentas iniciada em 2018, quando houve decréscimo de 18% nos registros de óbitos em comparação ao mesmo período de 2017 — redução de 2.355 para 1.926.

Em São Gonçalo do Amarante, foi registrada uma taxa de 71,1 homicídios por 100 mil habitantes, a maior do Estado. Já Mossoró registrou de 62,2 homicídios por 100 mil habitantes. A média nacional ficou em 23,6. Isso significa dizer que São Gonçalo do Amarante tem o triplo de homicídios da média nacional, enquanto que Mossoró tem 2,6 vezes mais homicídios.

Outras duas cidades do RN tiveram números acima da média nacional: Natal e Parnamirim, com 27,5 e 26,2 homicídios por 100 mil habitantes, respectivamente. O cálculo da taxa de mortalidade por 100 mil habitantes coloca o Rio Grande do Norte como o sexto mais violento do Brasil, atrás do Ceará (45,2), Bahia (44,9), Sergipe (42,6), Amapá (41,7) e Pernambuco (38,3). No RN, foram registradas 38 mortes violentas a cada 100 mil habitantes. 

Fim da Linha


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem