Banner 1

 


Um jovem identificado como Luan Carlos Melo Barreto, universitário de 23 anos de idade, morador do Conjunto Redenção em Mossoró, morreu na manhã de sexta-feira, 02 de julho de 2021, no Hospital Tarcísio Maia, vítima de disparo de arma de fogo.

O jovem foi baleado, na noite de quinta-feira (01), na Avenida Lauro Monte, no Bairro Santo Antônio em Mossoró RN. A vítima foi encontrada caída e ferida ao lado de uma moto Honda XRE 300 nas proximidades da Toyolex, na Avenida Lauro Monte.

Uma guarnição da PM que passavam no local, achou que se tratava de um acidente e resolveu socorrer o rapaz para o Hospital Tarcísio Maia. No início da manhã de sexta-feira (02), Luan acabou não resistindo.

A motocicleta foi apresentada na Delegacia de Plantão. O corpo da vítima foi recolhido do necrotério do HRTM para o IML do ITEP onde será examinado. Na listagem de óbitos divulgada diariamente através do site do ITEP/RN consta como causa da morte de Luan um ferimento por projétil de arma de fogo.

Até o momento não há informações oficiais sobre as circunstâncias em que o jovem foi baleado. Informações que circularam nas redes sociais, na noite do ocorrido, apontavam que estava ocorrendo uma perseguição policial a dois suspeitos em uma moto, naquela avenida, e que tinha ocorrido disparos de arma de fogo. No entanto não há confirmação se Luan foi vítima de bala perdida.

Versão da polícia é contestada

O Diretório Central Estudantil Romana Barros, da UFERSA, afirma que o universitário Luan Carlos Melo Barreto, de 23 anos, “foi cruelmente assassinado pela Polícia Militar”.

O jovem havia estudado no Instituto Federal de Educação Tecnológica e atualmente estava cursando Ciência e Tecnologia na UFERSA – Campus Central, em Mossoró.

Por volta das 23h30, ele saiu de sua casa no bairro Redenção pilotando uma moto XRE para buscar a namorada, que trabalha na AeC, no Centro de Mossoró.

Duas versões apareceram para explicar o assassinato do jovem. 

A primeira foi contada pela Polícia Militar e que consta no início desta matéria, ou seja, que Luan foi encontrado caído e os PMs acreditando que ele havia se acidentado o levaram para o hospital.

A segunda versão veio logo em seguida e foi divulgada pelo DCE Maria Romana, da UFERSA.  Nesta versão o DCE acusa a polícia de ter assassinado o jovem. Essa versão tem como base base informações de moradores do local (não identificados), que teriam ouvido tiros e logo em seguida observaram e fotografaram Luan caído e a Polícia Militar do lado.

Com informações do Blog Fim da Linha e Portal Mossoró Hoje







Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem