Banner 1


O delegado Denis Carvalho da Ponte, dois agentes e um escrivão da Delegacia de Defraudações de Mossoró, prenderam uma quadrilha (seis pessoas) que estavam vendendo casas da Caixa em Mossoró pela metade do preço.

O que parecia a realização do sonho da casa própria na verdade era um golpe imobiliário usando o site da Caixa e principalmente a boa fé (inocência também) das pessoas.

Várias vítimas fizeram empréstimos para pagar a quadrilha. Teve quem pagasse usando o cartão de crédito da mãe. Algumas vítimas que estavam economizando para pagar a formatura, até tiraram as economias para realizar o sonho da casa própria.

O delegado Denis Carvalho disse que não tem como mensurar o tamanho do rombo que a quadrilha deu, mas disse que não se trata de coisa pouca. Acrescentou que o bando estava se preparando para fugir, possivelmente nesta quarta-feira, 9.

Alguns membros da quadrilha, segundo o delegado, já respondem por assalto e estelionato na Bahia e na Paraíba. "Estamos analisando caso a caso e vamos decidir, ao final, quem realmente praticava os crimes",  disse Denis Carvalho.

Os membros da quadrilha presos e autuados:

1 - José Luiz da Silva Fagundes, nascido no dia 20 de março de 1977, no Rio de Janeiro: autuado nos artigos 171 e 288.

2 - Leonardo de Almeida Silva, nascido no dia 26 de agosto de 1986,  não informou de onde é, autuado nos artigos 171 e 288.

3 - Dhenerson Dias Ribeiro, nascido no dia 2 de julho de 2000, em João Pessoa: autuado nos artigos 171 e 200.

4 - Israel Nicolau Arruda de Assis, nascido em 18 de julho de 1983, não informou sua origem. Autuado nos artigos 171 e 288.

5 - Luiz Augusto Paulino de Albuquerque, nascido no dia 12 de abril de 1991, em Araruna-PB. Autuado nos artigos 171 e 288.

6 - Suan Freitas da Silva, nascido em 3 de outubro de 1991, em Salvador-BA. Autuado por 171 e 288.

Os líderes da quadrilha alugaram um imóvel na Rua Seis de Janeiro, número 84, no bairro Santo Antônio e há cerca de 30 dias colocaram uma placa na frente com o nome Atlas Assessoria.

Para atrair o maior número de vítimas no menor espaço de tempo possível, fizeram um banner dizendo que o objetivo da Atlas Assessoria era desocupar imóveis da Caixa e realizar venda direta a outros inquilinos.

Os anúncios foram espalhados pela cidade e principalmente usando perfis no Facebook. Foram contratadas várias pessoas de Mossoró para servir de "vendedoras e vendedores" dos imóveis da Caixa usando o nome da Atlas.

A motorista Anne Caroline de Almeida Santos, de 21 anos,  disse que sempre quis a casa própria. Explica que este ano já se mudou 3 vezes e daí decidiu comprar a casa própria financiada. Podia ser simples, mas seria minha”, conta Anne Caroline.

“Eu encontrei a proposta pelo Facebook, nestes bazares. Fui atraída pelo preço da casa. Por que era 50% de desconto. Eles diziam que a casa era tomada pela Caixa e realmente a missão deles era revender estas casas por valores mais baixos”, conta Anne Caroline. Realmente, no site da Caixa existe uma lista de casas que a instituição financeira tem a intenção de leiloar no futuro. A quadrilha teria se aproveitado deste fato e montado o golpe.

“Fui ver a casa. Era lá no Nova Mossoró. Quando cheguei lá, eles estavam arrombando a casa. Aí eu quis saber, mas aí eles explicaram que era procedimento padrão. Que tinha que tomar a casa de volta e trocar as chaves para o novo inquilino, no caso, eu”, conta Anne Caroline, lembrando que a casa era exatamente como ela queria.

Depois ela conta que voltou ao escritório da empresa, já com todos os documentos, onde foi feito uma simulação na frente dela e teve o cadastro aprovado no site da Caixa para comprar a casa em 320 prestações de R$ 180 reais, mas precisava dar uma entrada de 5%, dinheiro que a jovem Anne Caroline não tinha.

“A casa era do jeito que eu queria, do jeito que eu sonhava. Minha mãe ficou com pena de mim e emprestou o cartão de crédito dela para pagar R$ 3.300 reais que eles estavam pedindo de adiantamento”, narra Anne Caroline, que fechou negócio na manhã de terça-feira, 8.

Pouco tempo depois que Anne Caroline saiu do escritório (local que eram praticados os crimes), a Policia Civil chegou ao local e prendeu os suspeitos e também apreendeu equipamentos eletrônicos, celulares, computadores e muitos documentos, provas dos crimes, entre os quais os documentos de Anne Caroline.

O delegado Denis Carvalho da Ponte disse que quando chegou à Delegacia, ligou para algumas vítimas, entre elas Anne Caroline. Estava caracterizado o flagrante do crime de estelionato, entre outros. Nenhum dos seis presos eram corretores e nem tinham autorização da Caixa para botar pessoas para fora de suas casas e vender pela metade do preço para outros clientes.

Outro lado

O advogado Eduardo Sousa disse que a princípio ele não vê prática de crime algum pelo grupo que se encontra preso. Segundo ele, os presos estavam intermediando a venda das casas abondadas pela Caixa com potenciais compradores.

Mossoró Hoje



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem