Banner 1

 

Após o Brasil ultrapassar a marca de 500 mil mortes por Covid-19, o neurocientista Miguel Nicolelis afirma que esse número deve aumentar ainda mais ao longo do ano de 2022. Segundo ele, o país pode atingir um milhão de mortes pela doença.

“Hoje em dia é muito difícil fazer uma previsão acurada, tão acurada quanto a que fizemos em março e que bateu em cima da previsão [dos 500 mil mortos em junho]. Nós multiplicamos por 10 o número de mortes em um ano. Nos últimos quatro meses, fomos de 250 para 500 mil vítimas da Covid, dobramos. É concebível, se nada for feito junto com a campanha de vacinação, que a gente possa atingir em algum momento em 2022 por volta de um milhão de óbitos no Brasil”, disse Nicolelis.

O neurocientista e outros pesquisadores brasileiros assinam um estudo publicado na revista científica Nature sobre como a Covid-19 se espalhou pelo país. De acordo com os dados estudados pelos profissionais, a cidade de São Paulo foi a que mais disseminou a doença.

Segundo ele, os fluxos em rodovias e aeroportos recebendo passageiros de diversos países se mantém os mesmos e isso, sem bloqueios sanitários, pode agravar a situação de disseminação da doença. “Continuamos a repetir os mesmos erros básicos de manejo da pandemia”, avaliou.

Sobre os números futuros, Nicolelis afirma que o Brasil pode passar os Estados Unidos em número de mortos pela Covid-19 nos próximos 60 dias. “Nos transformaremos no país com o maior número de óbitos no mundo.”

“Vamos completar 83% dos óbitos esperados anualmente, em todas as causas, em sete meses. O que é um absurdo completo. Fomos da média mensal de 100 mil óbitos por todas as causas para 185 mil em abril e março. As perspectivas, se apostarmos só na vacinação, que está capengando na segunda dose, podemos dobrar o número de óbitos nos próximos oito meses no Brasil”, avaliou o neurocientista.

CNN Brasil



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem