Banner 1

 


O alto número de internações em decorrência da covid-19 e a continuidade dos atendimentos no maior hospital de urgência e emergência da região oeste podem provocar a falta de sangue no estoque do Hemocentro, em Mossoró. Ne quarta-feira, 2, a administração do local fez um apelo nas redes sociais, onde solicitava que as pessoas aptas fossem doar sangue.

No comunicado, a administração informou também que, caso a população não faça as doações, irá faltar sangue para abastecer os hospitais da cidade, até o fim de semana. “Diante do período delicado que estamos vivenciando, a busca por bolsas de sangue aumentou significativamente, e o número de doadores diminuiu consideravelmente. Podemos afirmar que se mantiver esta realidade, irá faltar sangue até este final de semana”, informava o comunicado.

O Hemocentro disse ainda que, apesar de realizar frequentes campanhas de conscientização sobre a doação de sangue, a quantidade ainda está sendo insuficiente para manter o local abastecido. De acordo com informações do serviço social do Hemocentro, o ideal é que o local receba uma média de 50 a 60 doações diárias. No entanto, a média diária não chega a 40 doações.

“Estamos sempre em campanhas de incentivo e conscientização, mas o momento é crítico e dessa vez preciso lançar o apelo à população para comparecer à nossa unidade, realizar a doação de sangue e não deixar os nossos estoques zerarem. Convido você a se solidarizar com a nossa causa em prol da vida”, informou a nota assinada pelo diretor geral do Hemocentro, Damásio Leite.

A doação de sangue, além de ser um ato de amor ao próximo, salva vidas, já que uma única doação pode beneficiar até quatro pessoas. O estudante Italo Araújo é doador de sangue há mais de nove anos e comenta sobre esse ato, que é considerado tão nobre. Ele fala que é importante manter a constância nas doações e pede que as pessoas sejam solidárias, principalmente no atual momento de crise sanitária.

“Doar sangue é um ato de solidariedade, onde o doador não tem noção de quem poderá estar ajudando e de quantas pessoas irão se beneficiar com essa doação. É alto o número de pessoas que dá entrada nos hospitais e que precisam de sangue. Com apenas um tempinho da nossa vida nós conseguimos ajudar muitas pessoas. Para mim, doar sangue é um compromisso que tenho comigo mesmo, porque a gente nunca sabe quando estaremos na mesma situação desse irmão que precisa hoje”, comenta o estudante.

Italo Araújo comenta que o tempo que uma pessoa dedica a doar sangue não é comparado ao sofrimento que muitas pessoas vivem em hospitais e que, desde a primeira vez que doou sangue, decidiu que ia se tornar um doador fixo. “Eu doei a primeira vez por incentivo da minha professora, no final do ensino médio. Desde então, eu me inteirei da importância que é doar sangue e do quanto isso faz diferença na vida das pessoas. Tenho a minha carteirinha de doador de sangue, que busco manter sempre atualizada”, informa.

O estudante diz ainda que o ato de doar sangue traz para ele o sentimento de dever cumprido. “Eu estou dando a outras pessoas a oportunidade da vida com o sangue que pulsa nas minhas veias. Então, isso não tem preço, não tem nada que pague isso. Só o sentimento mesmo de saber que você tá cumprindo com o seu dever de cidadão”, comenta.

Diante de toda a importância da doação de sangue, o estudante também pede para que a população se conscientize sobre a importância da doação de sangue e do trabalho que é feito pelo Hemocentro. “O hemocentro está com as geladeiras quase todas vazias. Por isso, é importante que as pessoas tomem consciência que uma picadinha de nada pode tá diminuindo os índices de mortos por falta, até mesmo doação de sangue”, conclui.

O Hemocentro atende as demandas do Hospital Regional Tarcísio Maia (o maior para urgência e emergência da região), Hospital Wilson Rosado, Maternidade Almeida Castro, Centro de Oncologia, entre outros. Vale lembrar que uma doação de sangue pode ajudar até quatro pessoas. As doações são feitas no Hemocentro, localizado ao lado do HRTM, de segunda a sábado.

Doadores vacinados devem aguardar até 7 dias para doar

As pessoas que receberam as doses da vacina contra covid-19 ou contra H1N1 devem respeitar o prazo de até sete dias para a doação de sangue. Segundo o Hemocentro, quem foi imunizado com as vacinas da Pfizer ou AstraZeneca só podem doar sangue sete dias após a aplicação. Já as vacinas da CoronaVac ou contra H1N1 devem aguardar o período de 48h para realizar a doação.

No caso de pessoas que tiveram covid-19, é necessário esperar 30 dias, após ter sido atestada a cura da doença, para poder fazer a doação de sangue. Atualmente, o Hemocentro pediu, nas redes sociais, que os doadores se dirigissem ao local para realizar as doações de sangue e, assim, equilibrar os estoques. Os tipos sanguíneos que têm maior demanda e, consequentemente, os mais necessitados são: A+, A-, O+ e O-.

Devido à pandemia, o Hemocentro recomenda que os doadores se dirijam ao local utilizando máscaras e que estejam em pequenos grupos. Também precisam estar bem alimentados, ter dormido pelo menos 6h na noite anterior e levar o documento oficial com foto. Só pessoas com mais de 50 kg estão aptas a realizar a doação de sangue. Pessoas com idade entre 16 e 18 anos precisam de documento que comprove a autorização de pais ou responsáveis.

Principais impedimentos temporários para doação de sangue:

  • Resfriado: aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas.
  • Gravidez.
  • 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana.
  • Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses).
  • Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação.
  • Tatuagem, maquiagem definitiva e micropigmentação (sombrancelhas, lábios, etc.) nos últimos 12 meses.
  • Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses.
  • Qualquer procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia, rinoscopia, etc.): aguardar 6 meses.
  • Extração dentária (verificar uso de medicação) ou tratamento de canal (verificar medicação): por 7 dias
  • Cirurgia odontológica com anestesia geral: por 4 semanas.
  • Acupuntura: se realizada com material descartável: 24 horas; se realizada com laser ou sementes: apto; se realizada com material sem condições de avaliação: aguardar 12 meses.
  • Vacina contra gripe: por 48 horas.
Por Amina Costa do Jornal De Fato

Mossoró Hoje



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem