Banner 1

 


O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta 5ª feira (17.jun.2021) que os brasileiros desperdiçam muita comida, criticando supostos “excessos” na cadeia produtiva e até em refeições. O economista usou como exemplo hábitos da “classe média europeia”, que, segundo ele, tem “pratos relativamente pequenos”.

“Você vê um prato de um [cidadão de] classe média europeu, que já enfrentou duas guerras mundiais, são pratos relativamente pequenos. E os nossos, aqui, fazemos almoços onde às vezes há uma sobra enorme. E isso vai até o final, que é a refeição da classe média alta. Até lá, há excessos”, afirmou.

Depois da declaração, o ministro sugeriu incentivos para evitar sobras. A ideia seria “transformar” o desperdício e direciona-lo a programas sociais, para atender “fragilizados, mendigos, desamparados”.

“A gente pode dar um incentivo para que tudo isso que seja perdido, ao invés de ser jogado fora, seja transformado e justamente canalizado para os programas sociais. Como se fossem postos de atendimento, para que isso possa ser endereçado aos mais necessitados”, disse.

“Toda aquela alimentação que não for utilizada durante aquele dia no restaurante dá para alimentar pessoas fragilizadas, mendigos, desamparados. É muito melhor do que deixar estragar essa comida toda. E estraga diariamente, na mesa das classes mais altas brasileiras”, completou.

As medidas, segundo o ministro, visariam a acabar com a fome no Brasil: “Do nosso lado, nós temos que fazer políticas sociais que permitam que os mais frágeis e vulneráveis sejam incorporados à cadeia produtiva ou amparados socialmente, os que não puderem ser integrados”.

Procurado pelo Poder360, o Ministério da Economia disse que não irá comentar o caso.

Poder 360




Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem