Banner 1

 


A campanha de vacinação contra a Covid-19 reduziu a internação de idosos por Covid-19 no Rio Grande do Norte, segundo apontou um relatório publicado no domingo (16) por pesquisadores do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (Lais) da UFRN.

De acordo com o levantamento, durante a primeira onda da Covid-19, em julho e 2020, as pessoas com mais de 60 anos representavam 75% do número de internados no estado. Atualmente, elas ocupam 37% do número total de leitos de UTI Covid-19.

De acordo com dados do relatório, somente em oito dias, entre 5 e 13 de maio, houve uma redução de 12% na taxa de ocupação em leitos de UTI covid-19 por idosos.

“Essa redução e vem ocorrendo de forma sustentada e gradual, uma vez que no período analisado, de oito dias, não foi observado nenhum novo pico na taxa de ocupação, portanto, mantendo-se em redução dia após dia”, explicou o diretor executivo do LAIS, professor Ricardo Valentim.

Durante o processo de vacinação no RN, dentre os grupos considerados prioritários os que mais foram imunizados contra a Covid-19 foram os idosos 75 anos e mais. A estimativa é que atualmente mais de 110 mil pessoas desse grupo tenham sido imunizadas no estado. O número representa uma cobertura de cerca de 91,4%.

Porém, considerado todo o público acima dos 60 anos, praticamente metade ainda não tomou a segunda dose da vacina. 421,7 mil idosos tomaram a primeira dose, mas apenas 199,3 mil tomaram a segunda.

Ainda de acordo com o relatório, cerca de 300 mil pessoas já foram vacinadas em todo o Rio Grande do Norte, ultrapassando os 39% da meta prevista para Fase 2. No número, também estão inseridos os profissionais de saúde e outros grupos prioritários que já receberam duas doses do imunizante.

Os pesquisadores ainda fizeram uma série de recomendações aos municípios potiguares. Entre elas, o relatório destaca que os municípios devem fazer busca ativa por idosos com 75 anos e mais que não receberam a primeira dose ou não completaram adequadamente o esquema vacinal.

Outra recomendação é que os municípios implementem o módulo de agendamento de vacinas disponíveis no RN Mais Vacina, a fim de evitar as aglomerações nos pontos de vacinação e sejam ágeis no processos de registro das doses no sistema RN Mais Vacina, com registro das doses devem no máximo em até 48 horas após as aplicações.

"É importante garantir a logística necessária e o acesso regular à internet em todos os pontos de vacinação", pontuou.

G1/RN


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem