Banner 1

 


O ex-ministro da Saúde Nelson Teich disse à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid na Senado, nesta 4ª feira (5.mai.2021), que saiu do cargo por não ter autonomia e por divergências com o governo sobre o uso do cloroquina no tratamento contra a covid-19.

“Essa falta de autonomia ficou mais evidente em relação as divergências com o governo quanto a eficácia e extensão do uso do medicamento cloroquina para o tratamento de covid-19. Enquanto a minha convicção pessoal baseada nos estudos que naquele momento não existia eficácia para liberar, existia um entendimento diferente para o presidente.”

Questionado pelo relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL), Teich disse que não sabia sobre o aumento da produção de cloroquina pelo Exército e nem sobre a distribuição do medicamento para Estados e municípios. Ele não negou que isso existisse, entretanto, só disse que não tinha conhecimento já que seu posicionamento era contrário publicamente.

“É um medicamento que tem efeitos colaterais de risco. Na verdade ali o problema era a gente não ter ainda dados concretos do beneficio mas essencialmente era a preocupação do uso indevido. Isso não vale só para cloroquina, mas para qualquer medicamento.” 

Poder 360


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem