Banner 1

 


O Mossoró Cidade Junina 2021 Virtual terá o Chuva de Bala no País de Mossoró. Tradicionalmente o espetáculo é encenado em um cenário de teatro montado ao ar livre, mas nesta edição devido à pandemia da Covid-19, será em formato de cinema. A história de bravura do povo de Mossoró liderado pelo prefeito Rodolfo Fernandes será contada em um filme. A estreia da exibição é no dia 23 de junho no canal oficial da Prefeitura de Mossoró no YouTube. O filme do Chuva de Bala é uma das iniciativas culturais da Secretaria Municipal de Cultura para valorizar a cultura mossoroense, gerando renda para mais de 100 artistas e profissionais envolvidos na produção.

As gravações do filme sobre um dos episódios mais marcantes da história de Mossoró já foram iniciadas seguindo as medidas de prevenção à Covid-19. O assistente de direção Júnior Félix destacou a essência do espetáculo teatral do Chuva de Bala é mantida mesmo no formato de cinema.

“Porém, não é totalmente um filme. Quando a gente diz Chuva de Bala: um filme, trata-se de uma lembrança. Como dizemos passou um filme na nossa mente. O Chuva de Bala: um filme é nesse sentido, esse filme, essa lembrança que passa na mente das pessoas. O espetáculo esse ano vai lembrar sempre o teatro porque por mais que estejamos filmando em externas, como as cenas do cangaceiro que vão ser mata, as cenas do prefeito que foram gravadas no gabinete do próprio prefeito na Prefeitura, mas sempre vai ter alguma cena que tem um corte e o ator aparece no foco do teatro para que a gente não esqueça que se trata de um espetáculo de teatro e que estamos fazendo no período de pandemia. Mostra, inclusive, a plateia vazia muitas vezes”, destacou Júnior Félix.

Contar na pandemia a história de resistência de Mossoró ao Bando de Lampião, ocorrida em 1927, sem perder essência do grandioso espetáculo teatral é um dos desafios já que medidas de distanciamento social são necessárias para preservar a saúde dos artistas e profissionais envolvidos no projeto.

“As cenas foram gravadas separadamente. Sempre o público vai perceber que estamos usando máscaras por mais que se trate de uma história de época, mas a gente está usando máscara. Para que o público entenda que foi feito em uma pandemia e que se pode sim fazer arte em pandemia. Gravou-se os grupos separadamente, sempre mantendo a distância e não existe toque com ninguém. Tem momentos nas cenas que tanto Lampião quanto o prefeito usam álcool em gel, que foi para reforçar essa questão para quem vai assistir”, ressaltou o assistente de direção.

Geração de renda

A pandemia da Covid-19 afetou o trabalho de artistas, companhias e profissionais de eventos culturais. A iniciativa da Prefeitura de Mossoró e da Secretaria Municipal de Cultura de retomar o Chuva de Bala é uma das ações no MCJ de valorização da classe artística da cidade, gerando renda nesse período restrições de eventos.

Somente no Chuva de Bala são 72 artistas de 16 grupos envolvidos e mais diversos artistas independentes envolvidos diretamente no filme, entre bailarinos, atores, atrizes e músicos. Mais de 100 pessoas estão participando tanto na atuação da obra cinematográfica como nos bastidores.

O filme que retrata a história de resistência mossoroense a Lampião e seu bando reúne elementos do teatro, da dança e da música. O filme será exibido pela primeira vez no dia 23 de junho. “A exibição será no canal oficial da Prefeitura de Mossoró no YouTube. No dia 23 vamos liberar o filme que será a estreia e o lançamento. Ainda há possibilidade de projeção do filme em outras plataformas”, informou o secretário de Cultura Etevaldo Almeida.

Ficha Técnica

Direção de Marcos Leonardo

Assistência de direção de Júnior Félix

Coreografias de Hykaroo Mendonça

Texto de Tarcísio Gurgel

Música de Caio Padilha


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem