Banner 1

 


Do Portal Mossoró Hoje

O bueiro sobre a BR 304, perto da ponte do Rio Angico, está com infiltrações, que promoveu desgastes no ferro e na laje de concreto. Quando os caminhões pesados passam na BR, em baixo a laje treme, assustando os moradores do Projeto de Assentamento Paulo Freire.

Evaldo Carlos Batista, de 57 anos, conta que passa pelo local pelo menos 4 vezes por dia. Assim como todos os outros moradores, mora de um lado e trabalha do outro. "Tenho medo, sim", diz Seu Evaldo, que tem uma criação de ovelhas financiadas pelo Banco do Nordeste.

Janilson Miguel da Silva, de 63 anos, passa pelo bueiro com uma carroça transportando alimentos para os animais. Ele disse que nos dias de chuva o tremor era tão forte que até o animal se assustava. Quando precisava ultrapassar, olhava se vinha carretas.

Sueldo Vicente de Morais, de 48 anos, falou que não sabe precisar a quanto tempo que o bueiro está metendo medo nos moradores, com a possibilidade de desabar. Ele disse que até sabe onde fica o DNIT para pedir ajuda, mas lá ninguém atende. Agora é tudo online.

Francisco Francelino Santos de França, de 45 anos, disse que passa pelo bueiro, para evitar o tráfego em cima da pista da Br 304, todos os animais dos 60 moradores do Assentamento Paulo Freire, carros, carroças, crianças, adultos e velhos.

Francisco Damião da Silva, a exemplo de todos os outros que conversaram com a reportagem do PORTAL MOSSORÓ HOJE, pediu que o DNIT enviasse um engenheiro ao local para apontar o que é possível ser feito para reforçar a estrutura do bueiro e evitar uma tragédia no futuro.



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem