Banner 1

 


Pesquisa nacional da Consultoria Atlas divulgada na segunda-feira (10) mostra uma tendência de intensificação da polarização eleitoral entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Tecnicamente empatados na liderança da simulação de primeiro turno, a dupla ampliou a vantagem que já tinha sobre os demais possíveis concorrentes.

Conforme o levantamento realizado entre os dias 6 e 9 de maio, Bolsonaro aparece numericamente à frente com 37% das intenções de voto. Lula vem em seguida com 33,2%. Como a margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos, trata-se de uma situação de empate técnico.

Na pesquisa anterior, em março, Bolsonaro e Lula já lideravam. Mas ambos tinham taxas menores que as atuais: 32,7% e 27,4%, respectivamente.

Com Bolsonaro e Lula crescendo, a distância da dupla para o terceiro colocado aumentou. Em março, a terceira posição era ocupada pelo ex-juiz Sergio Moro (sem partido), que detinha 9,7%. Agora, o terceiro passa a ser o ex-ministro e ex-governador Ciro Gomes (PDT), com 5,7%. Moro marca 4,9% na nova simulação.

A pesquisa mostra, na sequência, a seguinte ordem da intenções de voto: Luiz Henrique Mandetta (DEM), 3,4%; Luciano Hock (sem partido), 2,1%; Danilo Gentili (sem partido), 2%; João Doria (PSDB), 1,8%; João Amoêdo (Novo), 1,5%; e Marina Silva (Rede), 1,3%. Outros quatro nomes somam 2,6%. Não souberam responder ou sinalizaram intenção de votar em branco ou nulo 4,5%.

Na simulação de segundo turno entre Lula e Bolsonaro, o petista vence o atual presidente por 45,7% a 41%.

Com vantagem pequena, dentro da margem de erro, outros dois nomes marcam mais que Bolsonaro em simulações de embate final: Mandetta (42,4% a 40,5%) e Ciro Gomes (41,9% a 40,9%).

Nesta rodada, o Atlas colheu 3.828 respostas de eleitores em todo o país por meio de um questionário online aplicado via convites randomizados.

Valor Econômico




Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem