Banner 1

 


A taxa de ocupação nos leitos de UTI no Rio Grande do Norte voltou a ultrapassar os 90% no início desta semana depois de ter ficado abaixo dessa marca pela primeira vez depois de mais de 50 dias na semana passada. Na tarde de segunda-feira (26), ela variou dos 92%, chegando a atingir os 95%.

A Região Metropolitana, com 95,6% de ocupação, e a Região Oeste, com 96,2%, seguem com os maiores índices. A Região Seridó, atualmente, está com 70%.

Segundo o Regula RN, a taxa de ocupação média no estado chegou a ser de 89% na sexta-feira (23), ficando abaixo dos 90%. A última vez que isso havia acontecido tinha sido em 28 de fevereiro - com esse mesmo percentual.

Naquela dia de fevereiro, no entanto, eram menos leitos públicos ocupados: 253. Nesta segunda, a plataforma estadual registra 346 leitos ocupados. Ao todo, a rede de assistência atualmente tem 411 leitos críticos abertos - 26 estão disponíveis e 39 bloqueados. Em 2020, o máximo de leitos críticos abertos foi de 316.

Além disso, nesta segunda, 34 pessoas também estavam à espera de um leito de UTI no estado para 26 leitos disponíveis. Esse número chegou a ser de 150 no mês de março para pouco mais de 10 leitos disponíveis.

De acordo com a série histórica, o maior número de solicitações por um leito em abril foi no dia 8, com 143. No domingo passado (26), foram registradas 105 solicitações - isso não significa que esse número de pessoas ficou ao mesmo tempo na fila. (Entenda aqui porque há gente na fila mesmo com a ocupação abaixo de 100%).

Atualmente, segundo o Regula RN, o Hospital João Machado, em Natal, e o Hospital São Luiz, em Mossoró, são os que têm mais leitos de UTI ocupados: 39 cada. O João Machado ainda tem mais 5 leitos de Unidade de Cuidados Intensivos (UCI), que são considerados críticos, também ocupados, mas conta com outros 11 críticos bloqueados. O São Luiz tem 7 críticos bloqueados.

G1/RN



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem