Banner 1

 


Por Edinaldo Moreno / Jornal De Fato

Cerca de 3 mil pessoas em Mossoró esperam a segunda dose da vacina CoronaVac e o número pode aumentar para 5 mil no fim de semana caso o envio de doses extras do imunizante não cheguem à cidade para o complemento do ciclo de imunização dessas pessoas que tomaram a vacina e aguardam pela aplicação da segunda dose. Estimativa da própria Secretaria Municipal de Saúde é que esse número alcance 8.471 pessoas sem tomar a 2ª dose caso haja uma extensa demora no envio de mais vacinas para o município.

A vacinação com o imunizante produzido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac foi suspensa na Capital do Oeste no fim de semana passado por falta de doses da CoronaVac para as pessoas que precisavam tomar a segunda dose. A Prefeitura de Mossoró alegou que suspendeu a vacinação para a primeira dose com CoronaVac há três semanas e que as ampolas recebidas vieram com menos doses que o previsto.

Em nota publicada no último domingo, 25, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) informou que entregou 3.070 doses da AstraZeneca/Oxford e 1.400 da CoronaVac/Butantan, sendo 840 doses da reserva técnica partilhada entre todos os municípios.

A reserva técnica corresponde a 5% das remessas enviadas pelo Ministério da Saúde existe para a reposição em casos de quebra de frascos, perdas de doses e outros.

SOLICITAÇÃO

A deputada estadual Isolda Dantas (PT) protocolou nesta terça-feira, 27, requerimento na Assembleia Legislativa solicitando do Governo do Estado o envio de doses extras da vacina CoronaVac para a segunda maior cidade do Rio Grande do Norte para reiniciar a aplicação da segunda dose da CoronaVac nos grupos prioritários que já receberam a primeira dose.

A deputada petista externou preocupação com a falta de doses da CoronaVac no município e disse que não poderia deixar que a população mossoroense seja prejudicada desta forma por um erro da prefeitura.

As notas técnicas do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap) mostram que as orientações aos municípios desde o fim de março é de reservar a vacina para a segunda aplicação, necessária para a eficácia. “É de responsabilidade dos municípios fazer esse controle. Houve um erro de planejamento por parte da prefeitura”, disse a deputada.

A deputada Isolda Dantas ressaltou ainda que conversou com a governadora Fátima Bezerra na manhã desta terça para externar a preocupação com a falta de vacinas. “A governadora está lutando desde ontem para obter doses extras da vacina, e eu me somo a essa luta. Estamos todos preocupados com a população porque sabemos que só a vacina vai vencer a pandemia”, contou.

A reportagem do Jornal De Fato entrou em contato com a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) para saber se haveria um novo envio de doses extras para Mossoró. A comunicação da pasta estadual informou que “as doses que podiam ser disponibilizadas da reserva técnica já foram distribuídas no sábado” e complementa dizendo que “não existem doses extras”.

O De Fato indagou ainda a assessoria da Sesap se existe alguma previsão de chegada de nova remessa de vacinas para o Rio Grande do Norte enviada pelo Ministério da Saúde, e recebeu como resposta que possivelmente uma nova carga desembarque no território potiguar nesta quinta-feira, 29.

MORGANA DANTAS

A secretária de Saúde do município, Morgana Dantas, disse que a cidade não usou todas as doses como, segundo ela, foram orientadas, e usou somente uma pequena quantidade. Ela revela que Mossoró recebeu 32 mil doses para a primeira dose e somente 22 mil para serem aplicadas na segunda dose.

“Mossoró sempre ficando com o pé atrás, sem saber se de fato se daria tempo dessas doses chegarem, não usou todas as doses como foram orientadas e usou apenas uma pequena quantidade e hoje o déficit se deve não a este uso e sim foram recebidas quase 32 mil vacinas para D1 (primeira dose) e somente 22 mil vacinas para D2 (segunda dose). Nós temos um déficit de mais de oito mil doses para a segunda dose”.

Morgana Dantas ressalta também que Mossoró segue o Plano Nacional de Vacinação e que o avanço da vacinação para outras faixas etárias se deu com a vacina da AstraZeneca/Oxford.

“Mossoró vem vacinando conforme orientação do Plano Nacional de Vacinação. Nós não poderíamos ficar com doses guardadas, enquanto a população esperava ser vacinada. Essas idades foram avançadas com a vacina AstraZeneca. Então isso não pode implicar no número menor de doses da CoronaVac. O número menor de CornaVac se dá pelo menor envio de doses D2 para Mossoró”.



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem