Banner 1


 

Manter o estoque de sangue equilibrado, principalmente neste período de pandemia, tem sido um desafio para o Hemocentro de Mossoró. Com o agravamento dos casos de covid-19 e intensificação das medidas de isolamento, o local está tendo que lidar com uma queda no número de bolsas de sangue no estoque. As informações foram divulgadas pela Rádio Rural.

A reportagem do Jornal de Fato entrou em contato com o Hemocentro para saber se, após a divulgação do baixo estoque de sangue, a procura tinha aumentado. Micheline Fernandes, assistente social do Hemocentro, informou que ocorreu sim uma leve melhora na procura, mas que ainda assim, o estoque permanece baixo. Ela informou ainda que a manutenção do estoque vem sendo feita por meio das campanhas que familiares fazem para pacientes que precisam de cirurgias.

“Coincidentemente, na tarde desta terça-feira, 9, um grupo de 15 pessoas veio da cidade de Paraú para fazer a doação. Estas pessoas vieram em prol de um paciente que deve realizar uma cirurgia. Nós temos uma parceria com os hospitais para que, em casos de cirurgias agendadas, a família do paciente deve ter feito a doação de uma quantidade razoável de bolsas de sangue. Isso serve para equilibrar o estoque, porque o paciente vai precisar de sangue, e tem sido fundamental para a manutenção do nosso estoque. Em casos de cirurgias cardíacas, por exemplo, o hospital pede a doação de 10 bolsas de sangue. Existe um número de bolsas para cada tipo de cirurgia”, informou a assistente social.

Micheline Fernandes explicou que a principal causa para a redução no número de doações de sangue é o agravamento da pandemia, onde muitas pessoas estão receosas e preferindo se resguardar. “Os nossos doadores voluntários, que fazem as doações a cada dois ou três meses, não estão vindo doar, porque preferem se resguardar. Estamos recebendo, praticamente, apenas as doações dos familiares de pessoas internadas. Isso nos preocupa bastante”.

De acordo com as informações repassadas pela Rádio Rural e confirmadas pela assistente social do Hemocentro, o ideal é que o local receba a doação mínima de 1 mil bolsas de sangue por mês. Em números diários, o necessário é que, pelo menos 50 pessoas façam doações, diariamente. Mas, a realidade no momento é que o Hemocentro vem recebendo em torno de 30 doações diárias, quase a metade do que é essencial para a manutenção do estoque.

"O ideal é que tenhamos entre mil e 1,2 mil bolsas de sangue por mês, para isso são necessários 50 doadores aptos por dia. Normalmente, recebemos entre 70 e 80 pessoas diariamente aqui na unidade, mas nem todas são consideradas aptas. Hoje, o número médio de doadores caiu para 30", informou a assistente social Lenita Helena à Rádio Rural.

Essa queda no número de doações vem ocasionando falta de praticamente todos os tipos sanguíneos. "As maiores dificuldades hoje dizem respeito aos sangues dos tipos AB+, A+, A- e O-, ou seja, praticamente todos. Pedimos às pessoas que estejam saudáveis, que possam doar, que compareçam ao Hemocentro. A doação salva vidas. Essas bolsas são utilizadas em pacientes, por exemplo, que passam por cirurgias cardíacas e oncológicas. Nós não podemos parar", concluiu.

O Hemocentro esclarece que vem cumprindo todos os protocolos de segurança, devido à pandemia. Está sendo mantido o distanciamento social, obrigatoriedade do uso de máscara nas dependências do Hemocentro. Vem sendo organizada uma fila de espera para a triagem, evitando que os doadores fiquem aglomerados no local.

O Hemocentro Mossoró está localizado vizinho ao Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM) e funciona de segunda a sábado, sendo que de segunda a sexta das 7h às 18h e aos sábados das 7h às 17h.

Doador precisa estar saudável para fazer doação

Podem doar sangue pessoas entre 16 e 69 anos e que estejam pesando mais de 50 kg. Além disso, é preciso apresentar documento oficial com foto e menores de 18 anos só podem doar com consentimento formal dos responsáveis. Pessoas com febre, gripe ou resfriado, diarreia recente, grávidas e mulheres no pós-parto não podem doar temporariamente.

O procedimento para doação de sangue é simples, rápido e totalmente seguro. Não há riscos para o doador, porque nenhum material usado na coleta do sangue é reutilizado, o que elimina qualquer possibilidade de contaminação.

O Hemocentro de Mossoró possui parcerias com os hospitais de urgência e emergência da cidade. A principal demanda por bolsas de sangue são para o Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), que recebe centenas de pacientes de Mossoró e de outras cidades do RN e do Ceará. Além do HRTM, o Hemocentro também envia bolsas de sangue para o Hospital Wilson Rosado, para a Maternidade Almeida Castro e para a Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer.

Amina Costa / Jornal De Fato



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem