Banner 1


O youtuber Felipe Neto foi intimado a depor na tarde de 2ª feira (15.mar.2021) pela Polícia Civil do Rio de Janeiro. O influenciador digital é acusado por suposto crime previsto na Lei de Segurança Nacional. Felipe diz que a convocação veio depois que ele chamou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de “genocida”, por causa da gestão da pandemia de covid-19.

O influenciador foi intimado pelo delegado Felipe Sartori, titular da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI). Já é a segunda vez que Sartori indicia o YouTube, em 2020 o delegado indiciou o influenciador por corrupção de menores.

Segundo Felipe, o pedido de intimação partiu de Carlos Bolsonaro. A alegação foi confirmada ao G1 pelo delegado responsável pelo caso. “Eles querem que eu tenha medo, que eu tema o poder dos governantes. Já disse e repito: um governo deve temer seu povo, NUNCA o contrário. Carlos Bolsonaro, vc não me assusta com seu autoritarismo.”, disse o influenciador.

Ao Poder360 o youtuber afirmou, por meio de assessoria, que sua equipe jurídica está ciente do ocorrido e está adotando as medidas cabíveis para cessar mais uma tentativa de silenciamento. “Fruto de uma clara perseguição da extrema-direita, obviamente desesperada pela ascendente perda de popularidade”, disse.

Nas redes, Felipe Neto recebeu apoio de diversos políticos como Guilherme Boulos, Eduardo Suplicy, Manuela D’Ávila e Sâmia Bonfim. A hashtag #BolsonaroGenocida ocupa os assuntos mais comentados do Twitter, junto com o termo “Genocida de Genocida”.

Na noite de 2ª feira (15.mar), o youtuber publicou um vídeo em que disse estar “espantado” com a nomeação. E voltou a criticar a forma com que Bolsonaro lida com a pandemia.

Poder 360


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem