Banner 1

 

O deputado federal General Girão (PSL/RN) entrou com uma ação no Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) com o intuito de processar enfermeiros do Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM) que protestaram, esta semana, pedindo o impeachment do presidente Jair Bolsonaro.

No documento enviado ao MP, o deputado, que é da base de apoio ao governo federal, alega que os profissionais de saúde cometeram os crimes de injúria e difamação contra o presidente e pede que sejam tomadas medidas cabíveis.

No protesto, os profissionais de saúde posaram para uma foto mostrando cartazes com o texto: “Chega de frescura e mimimi. Impeachment ou morte! Fora Bolsonaro”.

O protesto fez referência a uma frase do próprio presidente, onde ele faz pouco caso da pandemia que já matou mais de 160 mil brasileiros. "Chega de frescura e de mimimi. Vão ficar chorando até quando?", disse Bolsonaro em discurso.

A deputada estadual Isolda Dantas (PT/RN) já se manifestou e colocou o seu mandato à disposição dos servidores.

“Um deputado bolsonarista entrou com representação querendo proibir e punir manifestação política de profissionais de saúde do HRTM. Isto é ditadura. Qual o sentido de punir quem está salvando vidas? Contem com o nosso mandato na defesa da democracia, trabalhadores do HRTM!”, disse a Isolda em sua conta no twitter.

O advogado Niécio Roldão também já se colocou à disposição para defender os interesses dos servidores que estão sendo processados pelo deputado Girão.

Mossoró Hoje


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem