Banner 1


 

Por Ana Paulo Brito / Mossoró Hoje

Você já imaginou seus dias cercado por moscas por todos os lados, inclusive pousando nos alimentos que você vai oferecer à sua família? Essa é a realidade dos moradores do bairro e loteamento Pousada das Thermas, bem como de outros bairros localizados na mesma região.

Na sexta-feira (12) o Portal Mossoró Hoje recebeu uma carta, endereçada ao jornalista Cezar Alves, de uma moradora do bairro, por meio da qual relata a situação insustentável que ela segue vivendo em virtude da falta de higiene provocada pelas atividade da granja Aviforte.

Tábita Nakyra Jácome de Souza Almeida, de 36 anos, lembra as inúmeras denúncias que já foram feitas sobre o problema que até hoje não foi resolvido.

Em agosto de 2020, em ação civil pública, o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) obteve a condenação da Granja Aviforte a adotar providências mitigadoras de danos ao meio ambiente.

Entre as medidas a serem tomadas, com prazo, à época, de 30 dias, estavam ações como o manejo dos resíduos de fezes; o retrabalhamento do esterco para que não haja o acúmulo de umidade; o acondicionamento de forma adequada e com recipientes fechados do óleo de soja, na fabricação da ração; a limpeza diária das moscas mortas, dentre outras.

Seis meses depois, a situação não mudou em nada, conforme o relato de Tábita Nakyra. A situação gera riscos à saúde das pessoas, considerando que a mosca é um vetor potencial para vários tipos de doenças.

No relato, Tábita informa que denúncias recentes voltaram a ser realizadas pelos moradores, por meio do whatsapp do MPRN. Sem respostas, os moradores voltam a apelar para a imprensa, em busca de qualquer ajuda para voltar a ter paz.

Em um vídeo enviado por Tábita, um morador diz que a sensação que tem diante da quantidade de moscas é “que o inferno se instalou aqui”, diz mostrando os insetos em sua pia.

Em outro vídeo, uma moradora mostra a pia com as frutas que acabou de comprar e colocou no local para lavar. Todas elas cobertas por moscas.

“Gostaria de pedir ao senhor e os redatores do seu jornal, como também de todos seus amigos repórteres da nossa imprensa local e quem sabe a nível Nacional, que se possível divulgassem essa nossa problemática e que possamos juntos aos novos vereadores que são representantes do povo, juntos a prefeitura Municipal, ao próprio MP, como fiscais das leis e aos órgãos competentes. como a vigilância sanitária, IDEMA, dentre outros, um desfecho para tamanho sofrimento, pois estou desesperada e não temos há quem mais recorrer”, diz Tábita.

VEJA O RELATO COMPLETO ABAIXO:

CARTA DE UMA MORADORA AO JORNAL MOSSORÓ HOJE

Leia com atenção:

(Hoje dia 12/02/2021 Sexta feira)

Boa tarde César Alves, eu me chamo TÁBITA NAKYRA JÁCOME DE SOUZA ALMEIDA, tenho 36 anos, sou moradora do bairro e loteamento Pousada das thermas, situado geograficamente próximo à granja AVIFORTE.

Acho que o senhor pode lembrar que, no dia 02/07/2020 gravei um vídeo onde mostrava minha casa e nesse vídeo eu sitava que os donos da referida GRANJA AVIFORTE em Mossoró, haviam feito uma limpeza no dia 26/06/2020 e aos exatos 11(onze) dias depois podíamos abrir nossas portas e janelas?, pois bem!.

Hoje dia 12 Fevereiro 2021 venho compartilhar um pouco do nosso sofrimento como o senhor, seus leitores e todos aqueles que não conhecem à nossa realidade, faço isso porque ainda acredito na força da imprensa e na credibilidade do seu portal pela transparência e imparcialidade em que publicas seus conteúdos.

Assim sendo, é público e notório que desde de 2016 compartilhamos junto à Imprensa local escrita, falada e televisiva, nossa triste realidade com as moscas oriundas da granja AVIFORTE, tudo isso foi mostrado em fotos, vídeos e documentários e só em 2017 foi protocolado uma denúncia ao Ministério público da nossa cidade em especial ao MP do meio ambiente em que na época tinha como titular da vara o nosso ilustríssimo e respeitoso promotor Dr. Domingos Sávio. que na época ouviu em termos de declarações dezenas de moradores e subsequente fez juntada de todos os documentos em mídias com as declarações, fotos e vídeos para dar início à ação jurídica continuada. De lá para cá na PROMOTORIA houveram umas 5(Cinco) ou 6(Seis) reuniões com seus assessores para novas denúncias entre 3(três) audiências de conciliações com o próprio titular da vara, moradores do bairro afetado e os donos da GRANJA AVIFORTE, onde nas ocasiões os empresários NÃO aceitavam os termos impostos na TAC(termo de ajustamento de conduta) elaborado pelo próprio MP e com o passar dos anos esse processo se transformou em uma Ação Civil Pública que foi distribuída e caiu nas mãos do nosso competente e saudoso Juiz de direito o Dr. Manoel Padre Neto, pelo qual sentenciou a granja as normativas impostas no processo N° 0801253-05.2019.8.20.5106, pelo qual possuem 11(onze) intens além de sustentar a tese de que a a granja também NÃO possuem alvará de funcionamento, porém tudo isso está contido na própria sentença em que compartilharei com o seu jornal.

Dessa forma nossa denúncia é fundamentada em termos técnicos e científicos comprovados pela coleta de lixo orgânico e relatórios que comprovam a porcentagem de 90% da proliferação das moscas são decorrentes da falta de limpeza da esterqueira onde é feito inadequadamente o armazenamento de toneladas de excrementos das aves a céu aberto.

Hoje César Alves os moradores dos Bairros Pousada das Thermas, Alphavile, Quintas do lago, Mossoró I,II e parte do Abolição IV e V sofrem com o descaso da falta de limpeza por parte dessa granja e pelo que parece o seus gestores não dão à mínima para o sofrimento alheio, pois a proliferação da praga é tão gigantesca que torna-se humanamente impossível conviver com elas, trazendo doenças e desconfortos inimagináveis para centenas de família, sem falar das casas que possuem cadeirantes e deficientes físicos que precisam de fraudas descartáveis e as moscas pousam sobre suas comidas, ferimentos, boca e vise versa, nesses casos a celeuma e o desconforto é de entristecer qualquer ser humano.

Essa semana dezenas de moradores denunciaram novamente a Granja AVIFORTE via Whatsapp do Ministério Público de Mossoró(pelo fato de não ter atendimento presencial) no intuito de mostrar que a referida empresa não está se preocupando em seguir as normativas sobrepostas em lei.

Por fim e mais importante, gostaria de pedir ao senhor e os redatores do seu JORNAL, como também de todos seus amigos repórteres da nossa imprensa local e quem sabe a nível Nacional, que se possível divulgassem essa nossa problemática e que possamos juntos aos novos vereadores que são representantes do povo, juntos a prefeitura Municipal, ao próprio MP como fiscais das leis e aos orgãos competentes como a vigilância sanitária, IDEMA, dentre outros, um desfecho para tamanho sofrimento, pois estou desesperada e NÃO temos há quem mais recorrer.

TODOS NÓS MORADORES CLAMAMOS POR SOCORRO.

OBS: seguem em anexo cópia da sentença, e alguns vídeos de moradores logo após a sua ultima publicação.

Ass. Moradora:

TÁBITA NAKYRA




Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem