Banner 1

Multidão foi registrada nas principais ruas de Pipa no fim de semana de carnaval. Grande Natal tem quase 90% de ocupação de leitos críticos e RN se aproxima de 80%.

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), tratou as aglomerações que foram registradas em Pipa, no litoral Sul potiguar, durante o fim de semana de carnaval, como cenas inaceitáveis. 

Em entrevista à GloboNews nesta segunda-feira (15), a chefe do Executivo estadual se disse indignada com o ocorrido e comunicou que o Estado enviou mais equipes de fiscalização para reforçar a operação em Tibau do Sul, formando uma força-tarefa. O secretário de segurança do estado, Coronel Araújo, e o comandante da Polícia Militar, Coronel Alarico Azevedo, foram até o município.

"Aquilo é inaceitável. Eu quero aproveitar para dizer que as forças de segurança do Estado estão se dirigindo à Praia de Pipa", disse a governadora. "As medidas serão adotadas, para que as cenas que nós vimos nesse fim de semana lá em Pipa, de completo desrespeito, de falta de solidariedade, não se repitam nessa noite de hoje (segunda-feira)".

A governadora citou, inclusive, que o Rio Grande do Norte passa por uma nova pressão sobre os leitos críticos para Covid-19. Sete hospitais públicos - sendo os principais de referência no enfrentamento à doença - começaram a segunda-feira com 100% de ocupação no estado.

A Grande Natal bateu 90% de ocupação dos leitos críticos e o RN se aproxima dos 80%, segundo dados do Regula RN, plataforma que monitora a situação dos leitos de hospitais no estado.

"A taxa geral de hospitalização está em torno de 76%, e na Região Metropolitana está chegando a 100%. Por favor, não dá para repetir aquelas cenas de ontem (domingo). Aquilo é um escárnio. Aquilo é o quê? Brincar com a morte?", disse Fátima Bezerra.

"Inclusive, as pessoas que estão lá em Pipa, uma vez acometidas pela Covid-19, virão exatamente em busca do atendimento na Região Metropolitana. E aí a pergunta: vai ter leito?".


Aglomeração registrada na Praia da Pipa, durante o fim de semana. — Foto: Reprodução


A governadora do Rio Grande do Norte lembrou ainda que o estado publicou um decreto no dia 2 de fevereiro em que proíbe toda festa de carnaval que gere aglomeração, seja ela pública ou privada. O Estado também suspendeu os pontos facultativos no período. "O nosso decreto foi mais duro (do que no fim do ano). Nós não recomendamos, nós deixamos muito claro: estão proibidos (os eventos), por conta da pandemia", disse.

Segundo Fátima Bezerra, o decreto ainda reforçava a obrigatoriedade no uso de máscara. Apesar disso, a governadora acredita que há uma "falta de consciência" de parte da população para entender o atual momento pelo qual passa o estado no combate à Covid-19.

"As pessoas não têm o direito de ir para rua daquela maneira, sem a máscara, sem cumprir os protocolos sanitários, fazendo o contágio do vírus se espalhar pelo estado afora. Eu digo isso com muita dor, mas infelizmente falta uma consciência por parte desses segmentos da população".

A gestora cita também que o decreto prevê aplicação de multas para os estabelecimentos comerciais que descumprirem os protocolos sanitários.

Uma equipe que conta com policiais militares, civis, bombeiros e policiais penais, além dos agentes de seguranças municipais, ganhou um reforço nesta segunda-feira para atuar em uma força-tarefa na fiscalização desses eventos em Pipa.


Pessoas sem máscaras nas ruas de Pipa, em Tibau do Sul, no RN — Foto: Reprodução


Para a governadora, nesse momento é necessário que haja mais empatia, sobretudo aos mais jovens. "É pedir compaixão, empatia, respeito. Eu adoro a juventude, mas a juventude precisa cuidar dos seus pais, avós e tios".

"A pandemia não foi embora. Está aí a mutação do vírus. De forma que, mais do que nunca, a gente precisa ter uma consciência cidadã, a gente precisa ser responsável".


Fátima Bezerra (PT) em entrevista à GloboNews — Foto: Divulgação 


*G1 RN

Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem