Banner 1

Parlamentares pediram ao Tribunal de Contas da União (TCU) a abertura de uma investigação sobre os gastos com comida do governo federal em 2020.

Uma representação ao TCU é assinada pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-ES) e pelos deputados Tabata Amaral (PDT-SP) e Felipe Rigoni (PSB-ES). Outra é de autoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

No domingo, o jornal "Metrópoles" divulgou uma reportagem com gastos do governo federal com comida em 2020, baseada em informações do Portal de Compras do governo federal. Alguns desses gastos geraram forte repercussão nas redes sociais, como a compra de R$ 15,6 milhões em leite condensado e de R$ 2,2 milhões em chicletes. A reportagem do "Metrópoles" não apontou irregularidade nas compras. A TV Globo confirmou o gasto com leite condensado.

Nesta quarta-feira, o presidente Jair Bolsonaro reagiu irritado, com palavrões, ao se referir ao assunto (leia ao final desta reportagem).

As compras de comida se referem a todo o poder Executivo federal, que engloba ministérios e universidades, por exemplo. No caso do leite condensado, R$ 14,2 milhões foram para o Ministério da Defesa, e R$ 1 milhão para o da Justiça.

O G1 entrou em contato com a Secretaria de Comunicação da Presidência da República para obter uma resposta sobre os gastos, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.

Nesta quarta-feira (27), a a Controladoria-Geral da União (CGU) informou que o portal da transparência vem passando desde a terça por instabilidade, devido a um número alto de acessos.

O portal da transparência reúne dados sobre gastos do governo federal, como: salário de servidores, compras feitas por meio de licitações, despesas com viagens e pagamentos de emendas parlamentares.

"A Controladoria-Geral da União (CGU) esclarece que o portal da transparência do governo federal recebeu um volume de acessos muito grande, e fora do habitual, na tarde desta terça-feira, dia 26/1, o que gerou uma lentidão expressiva nas consultas feitas pelos usuários", informou a CGU em nota divulgada nesta quarta (27).

Ainda de acordo com a CGU, os técnicos do órgão iniciaram os procedimentos para solucionar a instabilidade da página.

Reação de Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro reagiu irritado, com palavrões, durante almoço numa churrascaria em Brasília, à publicação no site de notícias Metrópoles dos gastos do governo com alimentação em 2020.

O site informou que o governo gastou R$ 15,6 milhões de reais na compra de leite condensado.

O presidente disse que esse gasto foi feito para tropas do Exército e programas de alimentação dos ministérios da Cidadania e da Educação.

A GloboNews apurou que dos R$ 15,6 milhões gastos em leite condensado no ano passado, R$ 14,2 milhões são despesas do Ministério da Defesa, que alimenta uma tropa de 360 mil soldados.

Além dos parlamentares que pediram apuração de eventuais irregularidades nas compras ao Tribunal de Contas da União, o PDT entrou com um pedido de investigação no Supremo Tribunal Federal. 

G1



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem