Banner 1


O informe anual da Organização Internacional do Trabalho (OIT) aponta que o Brasil perdeu o equivalente a 11,1 milhões de postos de trabalho devido à pandemia do novo coronavírus, um impacto quase duas vezes superior à média mundial. Segundo a organização, a perda de renda foi de 21% no primeiro semestre de 2020. 

Ainda segundo a OIT, “o continente americano é a região mais afetada pela crise da covid-19, registrando uma perda total de 13,7% em termos de horas de trabalho durante 2020". A informação é da coluna do jornalista Jamil Chade, no UOL.

As maiores perdas na região em relação as horas trabalhadas foram registradas no Caribe e na América Latina. Nesta linha, o Brasil perdeu 15%, contra 12% do México. 

“As perdas no Brasil seriam equivalentes a 11,1 milhões de postos de trabalho, o quarto número mais elevado do mundo em termos absolutos”, destaca Chade no texto. O dado inclui os trabalhadores demitidos, os que abandonaram o mercado de trabalho e os que tiveram a carga horária reduzida. 

Em nível global, a média de horas trabalhadas recuou 8,8% ao longo de 2020, correspondendo a 255 milhões de postos de trabalho em tempo integral. A reportagem destaca, ainda, que a estimativa da OIT “é de que 33 milhões de pessoas no mundo foram afetadas pela perda completa de emprego, elevando o desemprego global para 220 milhões de pessoas”. 

No documento, a OIT também defende necessidade da manutenção de “pacotes de apoio a trabalhadores” para evitar o “risco de uma pressão ainda maior para a integridade do tecido social.

Brasil 247


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem