Banner 1

 


Levantamento da Câmara de Dirigentes Lojistas de Mossoró (CDL Mossoró) obtido pelo JORNAL DE FATO aponta que o número de inadimplentes em Mossoró cresceu 503% de janeiro de 2016 a novembro de 2020. Entraram na lista de endividados 98.470 pessoas no período.

De acordo com o balanço, o primeiro mês de 2016 encerrou com 19.569 inadimplentes. Já o mês de novembro do ano passado terminou com 118.039 mossoroenses na lista de devedores. Esse é o maior número de pessoas endividadas nesses cinco anos.

Os primeiros onze meses de 2020 registraram alta de 10% de devedores. Ao todo, 10.932 pessoas entraram no cadastro de devedor nos 11 primeiros meses de 2020. Janeiro registrou 107.107 consumidores inadimplentes. Em fevereiro, o número aumentou para 108.445. Já março registrou queda e encerrou com 108.027. Em abril, a inadimplência na Capital do Oeste voltou a subir e atingiu 109.396 pessoas.

Em maio, a segunda maior cidade do Rio Grande do Norte passou da marca dos 110 mil endividados. O mês terminou com 110.003 inadimplentes. Em junho, teve queda considerável. O número de pessoas com dívidas caiu para 108.856. No entanto, julho encerrou com 111.226.

Agosto subiu para 113.421. Em setembro, o número chegou em 116.228. Houve leve aumento em outubro chegando a 116.299 e os atuais 118.039. Vale salientar que os dados de dezembro ainda não haviam sido consolidados até o fechamento desta edição.

O presidente da CDL Mossoró, Wellington Fernandes, comentou que não houve uma queda do número de endividados, mas que teve uma forte redução no crescimento dos endividados, embora não tenha sido o maior limitador das vendas em 2020.

“No aspecto do endividamento, percebemos, através de nossas estatísticas, que não chegamos a uma queda do número de endividados, mas uma forte queda no crescimento do número de endividados em relação aos anos anteriores. Esse número, embora bastante elevado, não foi o maior limitador das vendas neste ano. Tivemos ao longo do ano um aumento de preços e desabastecimento do comércio que, também, impactaram nas vendas, não permitindo que os lojistas atingissem o mesmo patamar de vendas do ano anterior”.

O maior crescimento percentual em um ano foi registrado em 2016. Naquele ano, o aumento de endividados saltou de 19.569 para 36.178. Alta de 84%. Porém, o número de pessoas com alguma dívida vem caindo no período. Em 2017, por exemplo, a alta foi de 79%. Em janeiro daquele ano eram 34.773, enquanto que em dezembro eram 62.293.

O índice de endividados no ano de 2018 reduziu para 27% em comparação com o ano anterior. O ano começou com 64.009 pessoas endividadas e terminou com 81.390 inadimplentes. Em 2019, o percentual foi de 25%. Em janeiro havia 83.946 com dívidas, enquanto que dezembro terminou com 105.108.

NOVOS REGISTROS CAEM

Ainda de acordo com o levantamento, o percentual de pessoas que entraram no registro de inadimplência teve redução de 35% até o último mês de novembro. Segundo a pesquisa, em todo o ano de 2019 foram registrados 44.152 ante 32.748 de janeiro a novembro do ano passado.

Os meses de setembro, agosto e julho registraram os maiores números do ano passado. O nono mês do ano teve 4.508 registros. Já o oitavo mês registrou 4.434 notificações, enquanto que o sétimo mês obteve 4.358 registros de inadimplentos.

Edinaldo Moreno / Jornal De Fato



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem