Banner 1

Imunização com CoronaVac começou em 10 estados nesta segunda. São Paulo deu início a vacinação no domingo. Primeiros vacinados são profissionais de saúde, moradores de abrigo e uma pessoa indígena. 


Dulcineia da Silva Lopes recebe dose da CoronaVac aos pés do Cristo Redentor, nesta segunda-feira (18), no Rio de Janeiro. — Foto: REUTERS/Ricardo Moraes


Onze estados começaram a vacinar a população com a CoronaVac nesta segunda-feira (18), após o Ministério da Saúde ter iniciado a distribuição do imunizante contra a Covid-19 (veja a lista abaixo). Houve atraso na entrega porque a pasta, segundo o ministro Eduardo Pazuello, teve que alterar voos com as doses para os estados.

Com isso, chega a 11 o número de estados que deram início à vacinação, uma vez que São Paulo começou a imunização neste domingo (17), pouco após a aprovação do uso emergencial da CoronaVac pela Anvisa.

Os estados escolheram profissionais de saúde e moradores de abrigo, parte do grupo prioritário da vacina, para receber a primeira dose. No Mato Grosso do Sul, a primeira vacinada foi uma indígena. A segunda dose deve ser administrada em cerca de 21 dias.

Alguns estados usaram lotes simbólicos para aplicar vacinas até mesmo à noite.

Veja, abaixo, quem foram os primeiros vacinados em cada Unidade Federativa:


  • Minas Gerais: Maria do Bonsucesso Pereira, de 57 anos, enfermeira.
  • Espírito Santo: Iolanda Brito, de 55 anos, técnica de enfermagem.
  • Maranhão: Egle Maia Sousa, técnica de enfermagem.
  • Tocantins: Edileuza Ferreira dos Santos, de 52 anos, enfermeira.
  • Mato Grosso do Sul: Domingas da Silva, indígena de 91 anos. Da etnia Terena, ela reside na aldeia Tereré, em Sidrolândia, e foi vacinada no Hospital Regional de Campo Grande.
  • Ceará: Maria Silvana Souza Reis, de 51 anos, técnica de enfermagem.
  • Goiás: Maria Conceição da Silva, de 76 anos, moradora de um abrigo e hipertensa. Ela foi imunizada pelo governador Ronaldo Caiado, que é médico.
  • Piauí: Joaquim Vaz Parente, de 75 anos, é médico obstetra e atua há 45 anos na Maternidade Dona Evangelina Rosa.
  • Rio de Janeiro: Dulcineia da Silva, de 59 anos, técnica de enfermagem no hospital Ronaldo Gazola, e Teresinha da Conceição, de 80 anos, acolhida pelos serviços da Prefeitura em 2015 depois de ter sua casa demolida pela Defesa Civil. Elas foram vacinadas no Cristo Redentor.
  • Santa Catarina: Júlio César Vasconcellos de Azevedo, de 55 anos, enfermeiro. Ele trabalha há 28 anos no Hospital Celso Ramos, de Florianópolis.
  • São Paulo: Mônica Calazans, de 54 anos, enfermeira. Ela foi a primeira brasileira a receber a vacina fora do período de testes, pouco após aprovação da Anvisa.


Atrasos na distribuição

Pazuello disse que a vacinação seria iniciada a partir das 17h em todo o país. A entrega das doses, entretanto, atrasou após a pasta alterar voos para os estados.

Em entrevista nesta segunda-feira, em São Paulo, Pazuello afirmou que houve atraso porque os governadores quiseram antecipar o início da vacinação e foi necessário refazer a logística. "Imagine a mudança da logística para 26 estados em um país continental como o Brasil", disse.

Alguns estados receberam a CoronaVac e esperam começar a vacinar ainda nesta noite: Paraná, Pernambuco, Mato Grosso e Rio Grande do Sul.

Outras Unidades Federativas afirmaram que a vacinação só começa amanhã: Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Paraíba, Rondônia, Roraima e Sergipe.


CoronaVac no Brasil

A CoronaVac é uma vacina produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, que é ligado ao governo do estado de São Paulo.

No dia 9 de janeiro, o Ministério da Saúde afirmou que compraria as 6 milhões de doses da CoronaVac produzidas no Brasil. Dessas, 4.636.936 começaram nesta segunda a ser enviadas aos estados brasileiros. As outras 1.357.640 começaram a ser distribuídas no estado de São Paulo já no domingo.

A distribuição das vacinas é feita com aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) e caminhões com áreas de carga refrigeradas. As companhias aéreas Azul, Gol, Latam e Voepass também participam do transporte gratuito das caixas de vacinas para todos os estados que necessitem de transporte aéreo.

Depois que as vacinas são entregues aos estados, os governos estaduais ficam responsáveis por levar as vacinas até os municípios, em parceria com o Ministério da Defesa

Veja divisão das doses da CoronaVac para cada estado:


Região Norte

Rondônia - 49.400

Acre - 40.760

Amazonas - 282.320

Roraima - 87.720

Pará - 173.240

Amapá - 31.000

Tocantins - 44.000

Total de doses - 708.440

Região Nordeste

Maranhão - 164.240

Piauí - 61.200

Ceará - 229.200

Rio Grande do Norte - 82.440

Paraíba - 114.880

Pernambuco - 270.960

Alagoas - 87.760

Sergipe - 48.880

Bahia - 376.600

Total de doses - 1.436.160

Região Sudeste

Minas Gerais - 577.680

Espírito Santo - 101.320

Rio de Janeiro - 488.320

São Paulo - 1.349.200

Total de doses - 1.357.040

Região Sul

Paraná - 265.600

Santa Catarina - 144.040

Rio Grande do Sul - 341.800

Total de doses - 751.440

Região Centro-Oeste

Mato Grosso do Sul - 158.760

Mato Grosso - 126.160

Goiás - 183.080

Distrito Federal - 106.160*

Total de doses - 574.160


*Inicialmente, a previsão era de que chegariam 105.960 doses em Brasília. No entanto, a Secretaria de Saúde disse que recebeu 106.160, ou seja, 200 a mais. Questionada pelo G1 sobre a diferença, a pasta não havia se manifestado até a última atualização desta reportagem.


Vacinas da Índia sem data para chegada

Pazuello também foi perguntado sobre as duas milhões de doses da vacina de Oxford que o Brasil pretende importar da Índia — o imunizante obteve aprovação da Anvisa também neste domingo.

O governo mobilizou um avião no fim de semana para buscá-las, mas a Índia atrasou a entrega. Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a viagem poderia ocorrer “em dois ou três dias”.

Nesta segunda, porém, Pazuello não definiu um prazo e disse que a diferença de fuso-horário complica as negociações. 


*G1


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem