Banner 1

 


O vigilante de rua Valderi Medeiros fica a frente a frente com o juiz da 1ª Vara Criminal de Mossoró a partir das 14 horas desta terça-feira, 26, para contar pela primeira vez a sua versão do assassinato do cabeleireiro Leonardo Borges da Silva, Leozinho, de 22 anos.

Leozinho, que deixou mulher e filho recém-nascido órfão, estava com amigos num espetinho no Grande Alto São Manoel quando Valderi o encarou e começou a soltar desaforos. As testemunhas narram que ele preferiu atirar para matar na covardia.

Após o crime covarde, o assassino fugiu e se apresentou na Polícia dias depois. Ao delegado que investigou o caso ele não falou nada. Em seguida fugiu de Mossoró para Tibau. Testemunhas foram ameaçadas no local. O criminoso teve a preventiva decretada.

Preso, a Justiça agendou a primeira audiência de instrução e julgamento em dezembro de 2020, porém terminou não acontecendo, ficando para este dia 26, quando ele está sendo esperado no Fórum Municipal de Mossoró para prestar depoimento.

A família da vítima, procurada pelo Portal Mossoró Hoje, disse que confia na Justiça e que vai acompanhar o caso passo a passo até a condenação do criminoso, que destruiu a vida deles, deixando todos arrasados. “O que queremos é justiça”, diz um dos parentes.

O promotor do caso, Italo Moreira Martins, confirmou que vai estar presente na audiência de instrução de julgamento nesta terça-feira no Fórum Municipal, e que está em comunicação direta com a família. A atuação do Ministério Público Estadual é por justiça.

Mossoró Hoje


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem