Banner 1

 

Fotomontagem: Blog do Barreto

O prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) caminha para ter uma base de apoio na Câmara Municipal de Mossoró expressiva. Até aqui, apenas a vereadora Larissa Rosado (PSDB) se declara abertamente oposição ao novo gestor. Por outro lado, a bancada de situação ao chefe do Executivo ganha novos nomes a cada dia.

É o caso, por exemplo, de Ricardo de Dodoca (PP) e Carmem Júlia (MDB), que apesar de, durante a campanha eleitoral de 2020, terem apoiado o projeto de reeleição da ex-prefeita Rosalba Ciarlini (PP), agora deverão seguir ao lado de Allyson Bezerra.

Ricardo de Dodoca já havia sinalizado que migraria para a bancada de Allyson quando teve sua irmã, Júlia Couto, indicada para o cargo em comissão de gerente de uma Unidade Básica de Saúde. Já Carmem Júlia, cuja mentora intelectual é a sua mãe, ex-vereadora Izabel Montenegro (MDB), também tem conseguido emplacar familiares na gestão Allyson Bezerra. Sua irmã, Thereza Raquel Araújo Holanda Montenegro, foi nomeada como assessora técnica previdenciária do Instituto Municipal de Previdência dos Servidores Públicos de Mossoró (PREVI).

Nomes ligados à Izabel Montenegro também foram reaproveitados na Câmara Municipal, em cargos da Presidência da Casa Legislativa e da Fundação Aldenor Nogueira. Vale lembrar que a Câmara tem como presidente o vereador Lawrence Amorim, do Solidariedade, aliado de primeira hora do prefeito Allyson Bezerra. Ricardo e Izabel sempre tiveram preferência pelo governismo, independente do ocupante do Palácio da Resistência. Foi assim ao longo de todas as últimas gestões (Rosalba Ciarlini, Francisco José Júnior, Cláudia Regina e Fafá Rosado).

Faltando poucos dias para o início do ano legislativo, a força da caneta do Executivo continua contemplando os anseios dos parlamentares que irão compor a base governista. Nas últimas edições do Jornal Oficial de Mossoró (JOM), dezenas de nomeações para cargos em comissão têm sido publicadas pelo prefeito Allyson Bezerra. Já são mais de 400 portarias. Uma boa parte desses nomes vem de indicações dos vereadores. É um processo “natural”, que garante ao gestor tranquilidade para votações que considere importantes no Poder Legislativo.

Indefinição

Se há parlamentares que já se declaram abertamente situação e oposição, há também aqueles que mantêm o discurso de “independência” e de indefinição. Pablo Aires, do PSB, tem afirmado e reafirmado que desempenhará suas funções na Casa do Povo com independência, por exemplo. Já a vereadora Marleide Cunha (PT) prefere aguardar mais um pouco para decidir sua posição.

“São as ações que vão me guiar nessa tomada de decisão. Para mim, não é o suficiente apenas a questão ideológica, eu continuo afirmando isso, é importante, nós temos diferenças ideológicas fortes, porém a gente precisa complementar isso e ver esses elementos na prática, no cotidiano, atingindo a vida das pessoas. E se atinge a vida das pessoas de forma negativa, ferindo a dignidade humana, ferindo as liberdades, então com certeza eu vou estar atuando com muita firmeza na defesa dos direitos, na defesa da dignidade humana, na defesa da democracia”, disse Marleide em entrevista recente ao Jornal De Fato.

Jornal De Fato


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem