Banner 1

“Quem tá nessa vida de crime só tem dois destinos: cadeia ou cemitério”. A frase, forte, foi dita por um pai que, apesar da dor de ter perdido o filho, já tinha consciência que isto poderia acontecer a qualquer momento.

Francisco Jefferson da Silva, conhecido por "Rei do Crime", de 19 anos, foi assassinado na noite de terça-feira (29), em uma oficina mecânica do bairro Santo Antônio. Ao todo, 28 disparos foram realizados em sua direção. 10 o atingiram.

Leia também

"Rei do Crime" é morto com mais de 10 tiros dentro de oficina mecânica no Bom Jardim

À reportagem do Portal Mossoró Hoje, o pai de Jefferson contou que desde os 16 anos o filho vivia no mundo do crime. Disse que dava muito conselhos para que o jovem seguisse uma vida dentro da lei.

Conta que o filho trabalhava com ele, mas começou a se envolver com coisas ilícitas e deixou o trabalho de lado.

“Cheguei a dar muitos conselhos, a mãe dele também, ‘meu filho, isso não tem futuro’, mas ele não me ouvia, achava que a gente queria pegar no pé dele. Um dia ele pegou essa moto, colocou umas roupas na mochila e se mandou no mundo. Às vezes passava de 15 dias sem dar notícias”, disse o homem.

A polícia militar também contou que o "Rei do Crime" já era um velho conhecido deles. Que aos 16 anos ele começou a roubar carros. Vivia sendo preso, mas era solto poucos dias depois.

Tempos depois ele começou a vender drogas na região do Santo Antônio. Há cerca de 4 meses, já após atingir a maioridade, Jefferson voltou a ser preso, desta vez, por tráfico de drogas. “Não ficou nem dois meses preso”, contou o policial.

O delegado Paulo Nilo, responsável pela delegacia de plantão na noite de terça-feira (29), confirmou que Jefferson já havia sido preso várias vezes por tráfico e roubo.

“Muito provavelmente foi morto por algum desafeto dele. Ele era envolvido com facção criminosa, então, muito provavelmente, seja briga de facção. Os procedimentos serão encaminhados para a DHM [Delegacia de Homicídios de Mossoró] para dar continuidade às investigações e, possivelmente, encontrar a autoria do crime”, explicou.

Mossoró Hoje


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem