Banner 1

 


Nos próximos dez anos, a oferta de gás natural no Rio Grande do Norte deverá sextuplicar (+546%) e a produção de petróleo, triplicar (+35%), com aumento de 77% da produção terrestre. A previsão é da diretora de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Heloísa Borges Esteves, feita no Mossoró Oil & Gas Expo (Moge), na quarta-feira (25).

O crescimento no Estado, segundo ela, acompanhará a ampliação do mercado nacional. “Em dez anos, o Brasil irá praticamente duplicar sua oferta nacional de gás natural (+83%). O Nordeste, por outro lado, terá quatro vezes mais oferta de gás do que atualmente (+288%)”, previu, no painel Novo Mercado de Gás, que integrou a programação do terceiro dia do Moge.

Em termos de investimentos, a diretora estima dezenas de bilhões a serem investidos no setor de óleo e gás em todo o Nordeste, na próxima década. As estimativas são baseadas em dados técnicos da EPE, que presta serviços ao Ministério de Minas e Energia (MME) no planejamento do setor energético.

Além de Heloísa Borges Esteves, o painel Novo Mercado de Gás reuniu Larissa Dantas (presidente da Potigas); Hugo Figueiredo (presidente da Companhia de Distribuição de Gás Natural Canalizado do Ceará – CGas); Fernanda Delgado (FGV Energia), Simone Araújo (diretora da ANP) e Rodrigo Costa (Petrobras).

O outro painel do dia foi Oportunidade de Negócios do Onshore, com Karine Fragoso (Organização Nacional da Indústria do Petróleo – Onip), Marcelo Rosado (Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern), Anabal Santos (Associação Brasileira dos Produtores Independentes (ABPIP), Fernanda Delgado e Carlos Padilha. Os painéis foram virtuais, transmitidos de Mossoró para os participantes do evento Brasil e mundo afora, pela plataforma Eventmobi e pelo canal do evento no YouTube.

SOMAT

Ainda nesta quarta-feira, o Mossoró Oil & Gas Expo sediou o V Workshop de Segurança Operacional e Meio Ambiente para Instalações Terrestres (SOMAT), realizado anualmente pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

A agência apresentou os principais aspectos de regulamentação de segurança operacional para o ambiente terrestre e questões de medição da produção de petróleo e gás natural. O foco do SOMAT deste ano foi a garantia da segurança operacional nas mudanças de operadores dos campos terrestres em produção.

Aberto segunda-feira (23), o Mossoró Oil & Gas Expo seguirá nesta quinta-feira (26), com os painéis Oportunidades e desafios para os fornecedores da Cadeia de Óleo e Gás e Licenciamento ambiental: Novas perspectivas para o Onshore; Simpósio de Petróleo e Gás do Onshore Brasileiro e rodada de negócios. O evento é realizado pela Redepetro RN e Sebrae RN.


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem