Banner 1

 

Se você é daqueles que não perde o noticiário policial e está sempre atento aos casos de homicídio que acontecem no estado, certamente não lembra a última vez que ouviu falar de gente morta em São José do Seridó, em Santana do Seridó, Jardim de Angicos ou em Viçosa. Difícil mesmo. Afinal, nos últimos 10 anos, foi registrado apenas um homicídio em cada uma delas.

 Nas cidades de Riacho de Santana, Paraná, Francisco Dantas, Ouro Branco e Ruy Barbosa, em cada uma, foram registrados três assassinatos nesta última década. Em Major Sales, Pedra Preta, São João do Sabugi, Senador Georgino Avelino e Galinhos, foram quatro. Já em Caiçara do Rio do Vento, Passagem, Rafael Fernandes, Bodó, São Bento do Trairi e Lagoa de Velho, foram cinco mortes em cada cidade, completando a lista dos 21 municípios menos violentos do Rio Grande do Norte.

Os dados são da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio da Rede e Instituto de Pesquisa Observatório da Violência (OBVIO).

Dos quatro municípios menos violentos do estado, São José do Seridó, na região Seridó potiguar, é o que está há mais tempo sem registrar um homicídio. Nestes últimos 10 anos, a última vez que alguém foi assassinado por lá foi em 2014, ou seja, já se vão praticamente seis anos. O município possui pouco mais de 4.600 habitantes.

Santana do Seridó fica na mesma região e bem menos habitantes. São cerca de 2.700 moradores. Lá, o último assassinato aconteceu em 2016. Já em Viçosa, no Oeste, e em Jardim de Angicos, na região Central, os últimos crimes de homicídio ocorreram em 2017. Em Viçosa a população ainda é menor. Com aproximadamente 1.700 moradores, é o município menos populoso do estado. E em Jardim de Angicos são cerca de 2.700 habitantes. 

Mais controle social e menos tráfico de drogas são explicação

Para o delegado Inácio Rodrigues, chefe da Diretoria de Polícia Civil do Interior (DPCIN), a ausência de facções criminosas ou quadrilhas organizadas especializadas no tráfico de drogas nestas cidades pode ser considerada parte da explicação para um número tão baixo de homicídios.

“Além da ausência de grupos organizados vendendo drogas e facções criminosas nestas pequenas cidades, os mecanismos de controle social também são mais intensos, como a família, a igreja, a sociedade civil organizada. Então, acho que isso contribui para a situação peculiar destas cidades quanto aos CVLIs (Condutas Violentas Letais Intencionais)”, destacou o delegado.

“Acho que a ausência desses grupos organizados é importante, mas não tenho dúvidas que esses mecanismos de controle social são determinantes, porque há um controle maior da juventude, que é a parcela da população mais vulnerável à criminalidade”, acrescentou Inácio Rodrigues.

Polícia comunitária dá boa resposta

A Polícia Militar tem outra visão quanto ao baixo número de mortes violentas nestas cidades. Segundo o coronel Castelo Branco, comandante do Policiamento do Interior (CPI), a chamada polícia comunitária, com sua atuação mais próxima da população, sempre dá uma boa resposta à sociedade.

“Em cada cidade, o policial militar não fica menos de dois anos. Isso o aproxima da comunidade. E nestas cidades menores, o PM conhece todo mundo. Quando chega alguém de fora, ele sabe. Certamente é um conhecimento que ajuda a combater a criminalidade”, destacou o oficial.

Cidades mais pacatas 

Cidades com 1 homicídio nos últimos 10 anos

São José do Seridó 

Viçosa

Jardim de Angicos

Santana do Seridó

Cidades com 3 homicídios nos últimos 10 anos

Ruy Barbosa

Francisco Dantas

Paraná

Riacho de Santana

Ouro Branco

Cidades com 4 homicídios nos últimos 10 anos

Major Sales

Galinhos 

Pedra Preta 

São João do Sabugi 

Senador Georgino Avelino 

Cidades com 5 homicídios nos últimos 10 anos

Bodó

Lagoa de Velho

Rafael Fernandes

Caiçara do Rio do Vento 

Passagem 

São Bento do Trairi 

Vila Flor

Capital potiguar é a mais mortal

Das 167 cidades do estado, Natal é a mais violenta. De 1º de janeiro de 2011 até o dia 13 deste mês, quando foi feito o levantamento, a capital dos potiguares registra 4.710 assassinatos. No mesmo período, em segundo no ranking da violência, aparece Mossoró, com 1.947 mortes violentas. Em terceiro vem Parnamirim, com 1.149 homicídios, seguido de São Gonçalo do Amarante, em quarto, com 842 pessoas assassinadas nestes últimos 10 anos.

Os outros seis município que completam a lista dos 10 mais violentos do RN são: Macaíba (634), Ceará-Mirim (589), São José de Mipibu (375), Extremoz (345), Caicó (255) e Assu (224).

Top 10 da Violência

Assassinatos ocorridos entre 1º de janeiro de 2011 e 13 de outubro de 2020

1º: Natal: 4.710 homicídios

2º: Mossoró: 1.947 homicídios

3º: Parnamirim: 1.149 homicídios

4º: São Gonçalo do Amarante: 842 homicídios

5º: Macaíba: 634 homicídios

6º: Ceará-Mirim: 589 homicídios

7º: São José de Mipibu: 375 homicídios

8º: Extremoz: 345 homicídios

9º: Caicó: 255 homicídios

10º: Assu: 224 homicídios

Fonte: UFRN/OBVIO



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem