BANNER 1

 


Algumas imagens até parecem de carnaval fora de época, mas são da campanha política no Rio Grande do Norte em meio à pandemia da Covid-19. Durante o feriado prolongado que acabou na segunda-feira (12), políticos e eleitores esqueceram do coronavírus e foram às ruas e promoveram arrastões. Festas também foram registradas em várias cidades do estado e a máscara de proteção, que é obrigatória, não era usada pela maioria das pessoas.

Foram registrados eventos políticos com aglomerações em Grossos, Tangará, Serra do Mel, São José de Campestre, Umarizal, Patu, Tibau do Sul, entre outros municípios. Em Tibau do Sul, imagens mostraram motoristas bebendo e dirigindo ao mesmo tempo durante carreata.

Os mesmos políticos que endureceram as regras de distanciamento social, de fechamento do comércio, e que perderam alguns cidadãos de suas cidades para a Covid-19 agora afrouxaram as medidas a ponto de esquecer que o vírus continua em circulação - a diferença é que não mais na mesma intensidade de contaminação.

"Ainda temos um registro diário de óbitos, numa média de quatro por dia, no Rio Grande do Norte. Temos mais de 500 casos suspeitos, com cerca de 200 confirmados por dia. Os casos estão mais concentrados, neste momento, no interior", afirma a médica infectologista Marise Reis, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Pessoas também fingiram não haver mais pandemia em uma festa no município de Assu, que tem mais de mil casos suspeitos da doença e 60 mortes causadas pelo vírus neste ano. Em Pipa, uma das praias mais famosas do estado, o metro quadrado foi disputado na madrugada do domingo. Mas até parecia que ninguém ouviu falar em máscara.

Eventos, festas e aglomerações ainda foram registradas em um bar da capital e na Avenida Ayrton Senna, no Conjunto Pirangi, em Natal. Paredões de som também foram vistos em vários bairros.

Algumas pessoas podem até perguntar se faz sentido usar máscara no meio de tantas pessoas. Segundo a infectologista, faz. "Se eu estiver em um aglomerado, por qualquer motivo, mas estiver de máscara, a chance de contaminar existe, mas é muito menor do que se tiver gente sem máscara. A máscara barra o vírus que está saindo da via aérea da pessoa contaminada" ressalta.

G1/RN


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem