BANNER 1

 

A taxa de transmissibilidade (Rt) na Região Oeste voltou a ser a maior do Rio Grande do Norte no consolidado da Semana Epidemiológica 36. Com isso, a região saiu da zona segura e foi para a de perigo. O índice determina o potencial de propagação do vírus do novo coronavírus.

De acordo com o monitoramento do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LAIS/UFRN) a média do Oeste entre os dias 30 de agosto e 05 de setembro foi de 1,11. Este índice coloca a 2ª Região de Saúde, polarizada por Mossoró, com a maior Rt entre as demais regiões de saúde do território potiguar.

A 6ª Região de Saúde é a outra que também está na zona de perigo, segundo o levantamento. A região conhecida como o Alto Oeste e polarizada pelo município de Pau dos Ferros teve taxa de 1,09. A região de Caicó, que corresponde a 4ª Região de Saúde, estava com índice de 1,03. Este percentual coloca a região na zona neutra.

Segundo o secretário de saúde do Rio Grande do Norte, Cipriano Maia, as três regiões preocupam a pasta por apresentarem indicadores acima de 1 no momento.

“Hoje o estado apresenta um indicador de 0,87, ou seja, está abaixo de 0,9, que é bom, mas precisamos manter esse declínio. Nossa meta é chegar próximo de 0. Tem três regiões que nos preocupam ainda, que estão com indicador acima de 1. A Região Oeste, polarizada por Mossoró, com índice de 1,11, A Região do Seridó com 1,03, está na zona amarela do mapa do LAIS, e a Região do Alto Oeste, polarizada por Pau dos Ferros, com 1,09”, informou.

As outras cinco regiões de saúde do estado apresentaram taxa de transmissibilidade menor do que 1,00 e ficaram dentro da zona segura. A menor taxa na Semana Epidemiológica 36 foi registrada na 8ª Região de Saúde, que tem como principal cidade da localidade. Nela a taxa foi de 0,80.

Logo em seguida com 0,91 estava a 5ª Região de Saúde, polarizada por Santa Cruz. Com um décimo a mais (0,92) ficou a 3ª Região de Saúde, correspondente a região de João Câmara. A 1ª Região de Saúde (São José de Mipibu), com 0,94, e a 7ª Região de Saúde, correspondente a Região Metropolitana de Natal, com 0,97, completam a lista das regiões com índice abaixo de 1,00.

A taxa considera a média da Semana Epidemiológica 36, visto que a semana corrente ainda não foi finalizada e está sujeita à diversas alterações em seus dados. Destaca-se também que a Rt de uma região saúde representa a incidência diária da região e não a média das taxas de transmissibilidade de cada município de uma região.

Mossoró

Se a Região Oeste voltou a registrar crescimento na taxa de transmissibilidade, o município de Mossoró chegou a terceira semana seguida com queda no índice. A Capital do Oeste encerrou a Semana Epidemiológica 36 com Rt de 0,84.

O percentual é menor do que as duas semanas epidemiológicas anteriores. Na SE 34 a taxa ficou em 1,02 e a 35 com índice de 0,89. O valor estimado para a Semana Epidemiológica 37 (período de 06 a 12 de setembro) está em 0,74.

A cidade contabilizava até o último balanço da Sesap 218 óbitos e 6.467 casos confirmados do novo coronavírus. O município tinha ainda 19 mortes em investigação e 63 já descartadas para a doença.

Rio Grande do Norte

Ainda de acordo com os dados do LAIS/UFRN, a taxa de transmissibilidade está em 0,87 para o Rio Grande do Norte como um todo. A média da última semana foi de 0,89. Da última quinzena ficou em 0,93 e dos últimos 30 dias em 0,98.

O levantamento aponta que o estado tem 74 municípios na zona de risco, 48 na de perigo, 43 na segura e apenas 02 na zona neutra.

Transmissibilidade

A Taxa de Transmissibilidade, ou Taxa Rt para ser mais simples, é um dos indicadores utilizados para medir a evolução de uma doença endêmica. De forma simples, essa taxa indica quantas pessoas podem ser infectadas a partir de uma pessoa já doente.

Para exemplificar suponha o Rt = 2, isso significa dizer que, estatisticamente falando, uma pessoa doente contaminará duas saudáveis. O ideal então é que esta taxa se mantenha o mais próximo possível de zero.

A partir do momento que ela se mantém constantemente abaixo do valor 1, significa dizer que a doença está em um estado "controlado".

Isolamento Social

A taxa de isolamento da população está em 36,1%, de acordo com o secretário o número é compatível com o processo de retomada das atividades.

Transmissibilidade na Semana Epidemiológica 36

1ª Região de Saúde - São José de Mipibú - 0,94

2ª Região de Saúde - Mossoró - 1,11

3ª Região de Saúde - João Câmara - 0,92

4ª Região de Saúde - Caicó - 1,03

5ª Região de Saúde - Santa Cruz - 0,91

6ª Região de Saúde - Pau dos Ferros - 1,09

7ª Região de Saúde - Metropolitana - 0,97

8ª Região de Saúde - Açu - 0,80

Jornal De Fato


 

Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem