BANNER 1

 

O secretário de Saúde do Distrito Federal, Francisco Araújo, foi preso preventivamente na manhã desta terça-feira (25) na segunda fase da Operação Falso Negativo, que investiga fraudes em testes de Covid-19. Foram cumpridos sete mandados de prisão preventiva ligados ao alto escalão da secretaria. 

De acordo com a colunista de política Basília Rodrigues, da CNN, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), disse que afastou Araújo do cargo até ele possa prestar esclarecimentos sobre a situação. Além dele, todos os outros funcionários presos nesta terça também ficarão afastados dos cargos, a princípio por tempo indeterminado. 

Araújo é suspeito de integrar um esquema de superfaturamento na compra de insumos que teriam causado prejuízo superior a R$ 18 milhões aos cofres públicos do DF. No cargo desde 16 de março deste ano, o secretário foi preso no apartamento dele, na região Noroeste do DF.

Em nota, o Ministério Público do DF informou que a nova fase da Operação Falso Negativo inclui 44 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal e em mais oito estados: Goiás, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Santa Catarina, Mato Grosso, Espírito Santo e Rio Grande do Sul.

As ordens judiciais foram expedidas pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) e são resultado de investigação exclusiva do MPDFT, que apura suspeitas de crimes cometidos por servidores do alto escalão da Secretaria de Saúde do DF, segundo o MP-DF.

Ainda de acordo com o MP-DF, entre os crimes estão: fraude à licitação, lavagem de dinheiro, crime contra a ordem econômica (cartel), organização criminosa, corrupção ativa e passiva. Os crimes teriam sido praticados no momento da licitação para compra de testes para detecção da Covid-19.

CNN Brasil


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem