BANNER 1

 

A cidade de Shenzhen tem 46.000 torres de 5G instaladas, permitindo não só maior velocidade, como também acelerando o tempo de resposta e novas funções em áreas como medicina e transporte.

A cidade chinesa de Shenzhen, frequentemente chamada de Vale do Silício chinês, abriga grandes empresas de tecnologia como a Tencent e a Huawei. A região agora é a primeira no mundo a introduzir uma rede 5G com cobertura total, de acordo com o jornal South China Morning Post.

Um total de 46.000 torres de 5G foram instaladas na cidade, informou Jia Xingdong, diretor do departamento de Indústria e Tecnologia da Informação de Shenzhen.

Os usuários comuns de smartphones não notarão muita diferença no desempenho de seus dispositivos em comparação com a rede de 4G, mas as chamadas torres inteligentes serão capazes de avaliar a eficiência e o desempenho do 5G. Esta rede garantirá uma operação mais eficiente do equipamento e reduzirá o tempo de espera.

A cidade de Shenzhen é sede de várias das principais empresas de tecnologia chinesa conhecidas mundialmente, incluindo a Tencent, desenvolvedora de jogos e do aplicativo WeChat, a Huawei e a ZTE, ambas fabricantes de smartphones e de equipamentos de telecomunicações, bem como o maior fornecedor mundial de drones para consumidores, DJI.

O interesse das empresas no 5G é particularmente forte dadas as necessidades dessas empresas, prevê a mídia. As novas torres fornecem comunicação 5G para 20 projetos em Shenzhen em áreas como medicina e transporte.

O país asiático lançou comercialmente o 5G em 2019. Até o momento, a China já construiu mais de 160.000 torres de 5G, que cobrem 50 grandes cidades, incluindo Shenzhen.

Potencial do 5G

A instalação da tecnologia 5G é um dos objetivos a curto prazo dos países ao redor do mundo.

A tecnologia multiplica as velocidades de acesso à Internet, expande a largura de banda e permite que mais dispositivos se juntem à rede. 5G é um requisito quase obrigatório para o avanço da Internet das Coisas.

Através de suas empresas Huawei e ZTE, entre outras, a China se tornou líder nesse mercado, afastando empresas de tecnologia do norte da Europa, tais como Nokia e Ericsson, e dos EUA.

Sputnik


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem