BANNER 1

 

As reservas hídricas superficiais estaduais fecharam a primeira quinzena de agosto acumulando 2.378.007.829 m³, o que percentualmente representa 54,33% da carga máxima que os 47 reservatórios monitorados pelo Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das águas do RN (Igarn), conseguem represar, que é de 4.376.444.842 m³. É o que aponta Relatório do Volume dos Principais Reservatórios Estaduais, divulgado na quinta-feira (20).

“Nós estamos fechando a primeira quinzena de agosto com um volume de mais de 54% de água nos nossos reservatórios, isso representa uma boa capacidade para o abastecimento das populações das cidades potiguares, além de propiciar que o Igarn atenda às demandas de produções, agricultura familiar e o agronegócio. Consequentemente poderemos garantir maior renda no campo e nas cidades”, disse o diretor-presidente do Igarn, Auricélio Costa.

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório estadual, com capacidade para 2,4 bilhões de metros cúbicos, acumula 1.502.835.076 m³, que correspondem a 63,33% da sua capacidade total. No mesmo período de agosto do ano passado o reservatório estava com 718.645.962 m³, percentualmente, 30,28% do seu volume máximo.

Segunda maior barragem do Estado, Santa Cruz do Apodi acumula 202.741.340 m³, percentualmente, 33,81% da sua capacidade total, que é de 599.712.000 m³. Em meados de agosto do ano passado o reservatório estava com 139.895.648 m³, correspondentes a 23,33% do seu volume máximo.

A barragem Umari, localizada em Upanema, acumula 256.914.034 m³, que em termos percentuais representam 87,74% da sua capacidade total, 292.813.650 m³. No mesmo período do ano passado o manancial estava com 108.649.165 m³, correspondentes a 37,11% da sua capacidade.

A barragem Pau dos Ferros, com capacidade para 54.846.000 m³, acumula 18.638.462 m³, percentualmente 33,98% da sua capacidade total. No mesmo período de agosto do ano passado o reservatório estava com 170.054 m³, que correspondiam a 0,31% do seu volume máximo.

O reservatório Marechal Dutra, conhecido como Gargalheiras, acumula 13.395.912 m³, correspondentes a 30,16% da sua capacidade total que é de 44.421.480 m³. Em meados de agosto de 2019 o Gargalheiras estava com 224.499 m³, percentualmente, 0,51% da sua capacidade.

O açude Bonito II, localizado em São Miguel, acumula 2.769.094 m³ correspondentes a 25,49% da sua capacidade total que é de 10.865.000 m³. No mesmo período do ano passado o manancial estava com 487.074 m³, correspondentes a 4,48% do seu volume máximo.

Já o açude Itans, localizado em Caicó, acumula 10.031.521 m³, correspondentes a 13,23% da sua capacidade total que é de 75.839.349 m³. Em agosto do ano passado o manancial estava com 458.536 m³, percentualmente, 0,60% da sua capacidade.

Atualmente os reservatórios que se mantém com volumes acima dos 90% são: Santana, localizado em Rafael Fernandes, com 93,33%; Passagem, em Rodolfo Fernandes, com 90,64%; Apanha Peixe, em Caraúbas, com 97,33%; Encanto, localizado em Encanto, com 95,15%; Mendubim, localizado em Assu, com 96,13% e Beldroega, localizado em Paraú, com 90,99%.

Já os que estão com volumes acima dos 80%, além de Umari, são: Riacho da Cruz II, localizado em Riacho da Cruz, com 89,31%; Morcego, em Campo Grande, com 88,98%; Santo Antônio de Caraúbas, localizado em Caraúbas, com 85,82%; Pataxó, em Ipanguaçu, com 88,46% e Dourado, em Currais Novos, com 85,93%.

Em termos gerais, dos 47 reservatórios monitorados, temos 2 em volume de alerta, que ocorre quando o açude está com volume inferior a 10% da sua capacidade e 2 secos. Em termos percentuais são 4,25% dos mananciais em nível de alerta e outros 4,25% secos, em um total de 8,50% de reservatórios em níveis críticos, porém Passagem das Traíras, que é um dos dois que está em nível de alerta, está em reforma, o que impossibilita que a barragem acumule água. O outro reservatório em nível de alerta é Esquicho, localizado em Ouro Branco. Já os secos são o açude Trairi, localizado em Tangará e o Inharé, em Santa Cruz.

Situação das lagoas

A Lagoa de Extremoz, responsável pelo abastecimento de parte da zona norte da capital, está atualmente com 100% da sua capacidade que é de 11.019.525 m³.

A Lagoa do Boqueirão, localizada em Touros, acumula 10.268.555 m³, percentualmente, 92,72% da sua capacidade total que é de 11.074.800 m³.

A Lagoa do Bonfim, localizada em Nísia Floresta, está com 45.906.783 m³, correspondentes a 54,48% da sua capacidade total de acumulação que é de 84.268.200 m³.


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem