BANNER 1


O Governo do Estado está finalizando uma importante obra de segurança hídrica para os habitantes do município de São Miguel, localizado no Alto Oeste Potiguar, que há seis anos não dispunha de abastecimento regular de água. A obra na Estação de Tratamento de Água (ETA) da cidade levará, em breve, a água encanada às residências.

A Caern deve iniciar, no próximo dia 12, os testes de abastecimento. Devido ao tempo em que o sistema esteve parado, o abastecimento deverá ser retomado de maneira regular no final do mês de julho. O prazo é necessário para que sejam corrigidos eventuais problemas no Sistema de Abastecimento de Água (SAA).

Por meio do investimento de cerca de R$ 3 milhões, o Governo do Estado executou, via Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), uma intervenção física a partir do açude Bonito 2, iniciando o processo de captação e distribuição de água para adutora de 3 km de extensão até São Miguel.

Houve, ainda, a recuperação das estações elevatórias e de tratamento, renovando todos os equipamentos, como as bombas. Benefício direto para 27 mil habitantes, especialmente nesta época de pandemia na qual o hábito de lavar as mãos é a principal medida contra o novo coronavírus.

Até agora, os moradores da cidade têm dependido de carros-pipa fornecidos por entes como Defesa Civil Estadual e Prefeitura do Município. A Caern está trabalhando atualmente no açude Bonito, que está com 27% de sua capacidade.

São Miguel é mais uma cidade do Alto Oeste que está saindo da situação de colapso no abastecimento. Segundo a governadora Fátima Bezerra, “a atual gestão sempre esteve sensível a este problema tão delicado que viveu, por tantos anos, os são-miguelenses, e é uma grande satisfação proporcionar o acesso a esse bem tão essencial, especialmente nesta época em que lavar as mãos pode salvar uma vida”.

De acordo com o presidente da Caern, Roberto Sérgio Linhares, “a obra teve início em meados de março deste ano e desde então as equipes da Companhia trabalham para garantir água encanada ao município”. Linhares alerta que, no início do serviço pode haver problemas técnicos, como vazamentos e canos estourados, já que há 8 anos as tubulações estão sem manutenção. “Mas vamos trabalhar para solucionar possíveis problemas”, afirmou ao lembrar que a Caern recomenda o uso racional da água.


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem