BANNER 1


Resultados da 3ª fase do Estudo de Prevalência da Infecção por Coronavírus no Brasil (EPICOVID19-BR), mapeamento epidemiológico do coronavírus no país, indicaram que 5,6% da população de Mossoró têm anticorpos para a doença. O percentual corresponde a pouco mais de 16,6 mil dos 297.378 habitantes estimados na Capital do Oeste e diz respeito a terceira etapa da pesquisa.

A porcentagem é menor que a registrada na segunda etapa. Nela foi constatada índice de 6,3%. Na primeira o percentual ficou em 3,4% dos entrevistados. A pesquisa é de caráter amostral, ou seja, o resultado identificado nesta população específica ao ser analisada é amplificado para o total dos habitantes de cada cidade de modo proporcional.

Esse número de pessoas que têm ou já tiveram a infecção por Covid-19 é mais de cinco vezes do que o registrado oficialmente pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap). No boletim divulgado pela pasta na noite desta sexta-feira, 3, o município contabilizava 3.233 infectados pela doença.

O estudo concluiu as três fases previstas no cronograma original. A primeira fase foi realizada entre os dias 14 e 21 de maio e totalizou 138 entrevistas e testes e teve 04 testes positivos para a doença. A segunda fase realizou-se entre os dias 04 e 07 de junho, tendo sido conduzidas 112 entrevistas e testes, com a confirmação de seis pessoas infectadas. A terceira fase ocorreu entre os dias 21 e 24 de junho, totalizando 250 entrevistas e testes. Nesta etapa, 12 entrevistados testaram positivo para a Covid-19.

Os pesquisadores do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope) percorreram os bairros Boa Vista, Lagoa do Mato, Aeroporto (2 setores), Nova Betânia, Abolição (3 setores), Santa Delmira, Santo Antônio, Barrocas (3 setores), Bom Jardim, Centro, Rincão (2 setores), Alto de São Manoel (2 setores), Planalto Treze de Maio (2 setores), Dom Jaime Câmara, Belo Horizonte, Doze Anos e Dix-sept Rosado e realizaram entrevistas em 25 setores censitários, totalizando 250 pessoas entrevistadas na cidade.

Em cada residência visitada foi escolhido um morador que respondeu algumas informações pessoais (idade, sexo, escolaridade do respondente, escolaridade da pessoa com maior grau de instrução no domicílio, cor da pele autorreferida); se teve algum sintoma da covid-19 nos últimos dias (tosse, febre, cansaço, dores no corpo, dificuldade para respirar, alterações no paladar e olfato); E também fazer um teste rápido do coronavírus com uma gota de sangue, tendo o resultado entre 15 a 20 minutos.

Mossoró está entre as 133 cidades selecionadas do Brasil que participaram da pesquisa, dentro do projeto Evolução da Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil: Estudo de Base Populacional da Universidade Federal de Pelotas. O estudo está sendo executado pelo Ibope, coordenado UFPel com financiamento do Ministério da Saúde, tendo o objetivo de verificar o nível de imunização da população brasileira ao novo coronavírus e como o vírus está se propagando pelo Brasil.

De acordo com a Universidade Federal de Pelotas, o estudo epidemiológico é o que tem o maior número de indivíduos testados do mundo para o coronavírus, com uma amostra total de 89.397 pessoas entrevistadas e testadas em 133 cidades brasileiras. Além de Mossoró, no Rio Grande participaram da pesquisa Natal e Caicó.

Para fins de análise da evolução da proporção da população com anticorpos para o coronavírus, foram analisados os dados das 83 cidades nas quais foi possível obter 200 ou mais entrevistas e testes em todas as três fases da pesquisa.

*RESULTADOS DE MOSSORÓ:

Número de entrevistas

Fase 1 - 138

Fase 2 - 112

Fase 3 - 250

Número de testes positivos

Fase 1 - 04

Fase 2 - 06

Fase 3 - 12

Prevalência bruta (%)

Fase 1 - 2,9%

Fase 2 - 5,4%

Fase 3 - 4,8%

Prevalência corrigida (%)

Fase 1 - 3,4%

Fase 2 - 6,3%

Fase 3 - 5,6%

* Os resultados descritivos dos testes realizados nas três fases da pesquisa. São apresentados: (a) o número de testes realizados, por fase, em cada cidade; (b) o número de testes positivos, em cada fase e cidade; (c) o percentual bruto da população com anticorpos, resultado da simples divisão do número de positivos pelo número de testados; (d) o percentual da população com anticorpos, levando em consideração os indicadores de validade (sensibilidade e especificidade) do teste rápido utilizado.

Jornal de Fato


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem